Há alguns anos, o mês de setembro tem sido usado como um mês especifico para alertar a sociedade sobre um mal da modernidade que tem acometido inúmeras e inúmeras pessoas – o suicídio.

Suicídio é o ato intencional de matar a si mesmo. Os fatores de risco incluem perturbações mentais e/ou psicológicas como depressão, perturbação dos mais variados tipos como a bipolaridade, a esquizofrenia ou o abuso de drogas, incluindo alcoolismo.

Já falamos sobre esse assunto no ano passando falando um pouco da história da problemática do suicídio:

Assim o mês todo está repleto de ações sociais para abordar o tema e permitir que mais pessoas saibam do problema e quem passa pelo problema saiba também que não está sozinha:

https://www.youtube.com/watch?v=Urlm8w4SyJk

Outra ação muito importante é estamos atentos as pessoas ao nosso redor, afim que possamos perceber algum tipo de comportamento suicida como:

  • O relato de querer desaparecer, dormir para sempre, ir embora e nunca mais voltar ou mesmo objetivamente o relato do desejo de morrer, mesmo quando falado num tom de brincadeira, devem ser considerados indícios significativos e levados a sério.
  • Um importante indicativo é o uso abusivo de álcool, especialmente quando o início for precoce, existir um histórico familiar de alcoolismo.
  • O uso drogas ilegais. Enquanto pessoas com histórico de abuso de drogas tem mais de 50 vezes mais probabilidade de tentar suicídio do que os que nunca usaram. Mais de 40% dos suicidas tem histórico de abuso de álcool ou outra substância.

Adicionamos aqui outro vídeo da campanha deste setembro amarelo que vale muito a pena ser visto:

É muito importante estarmos atentos e percebermos que, quanto mais comportamentos indicativos mais provável a ideação e necessidade de intervenção. Outros comportamentos associados com tentativas de suicídio e que devem ser tratados como alerta são:

  • Fumar cigarro em exagero
  • Distúrbios do sono (insônia, hipersonia, parassonia)
  • Transtornos alimentares
  • Descaso com a higiene e cuidados pessoais
  • Mau humor, irritabilidade, tristeza, anedonia.(humor depressivo)
  • Transtornos de ansiedade (Ataques de pânico, TOC e Transtorno de ansiedade generalizada)
  • Correr riscos desnecessários como não usar camisinha,
  • Dirigir perigosamente e andar em locais perigosos. (Sintomas de mania)
  • Alucinação, Delírio, desconfiança excessiva, deterioração cognitiva. (Sintomas de esquizofrenia)
  • Ouvir músicas, assistir filmes e/ou ler livros sobre morte regularmente
  • Pouca socialização/Se isolar de família e amigos

São atitudes assim, que devemos ficar atentos, sem acusar, mas nos aproximar da pessoa com possíveis ideações suicidas.

Atenção:

Em nosso país, como em outros países ocidentais a ação de:

  • Indução,
  • Estimulação,
  • Dar dicas ou
  • Apoiar de qualquer outra forma o suicídio de outra pessoa

É um crime considerado como uma forma de homicídio doloso (intenção de matar).  Inclusive quando o estímulo é feito na internet.

No Brasil o artigo 122 do Código Penal prevê reclusão de dois a seis anos para quem induz, instiga ou ajuda alguém a cometer suicídio, ou reclusão, de 1 (um) a 3 (três) anos, se da tentativa de suicídio resulta lesão corporal de natureza grave.

Equipe Mais de Deus – JUNTOS PELA VIDA!