apostle-73715_640Hoje celebramos a conversão de São Paulo, uma data importante diante da ousadia deste que se tornou um dos maiores evangelizadores.

Nascido na cidade de Tarso, atual Turquia. Filho de pai judeu e cidadão romano, Saulo por linhagem também era detentor do título. Aos 15 anos Saulo foi enviado para Jerusalém onde continuaria seus estudos, na famosa escola de Gamaliel.

Saulo com o passar do tempo transformou-se num perseguidor dos seguidores do Messias, odiava os cristãos, foram os embates de Saulo com Estevão que culminaram com o apedrejamento do seguidor de cristo.

Saulo, só respirava ameaças e morte contra os discípulos do Senhor.” (Atos 9, 1b). Certo dia Saulo, estando em missão para prender os Cristãos que encontrasse, “estando já perto de Damasco, subitamente o cercou uma luz resplandecente vinda do céu. Caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: ‘Saulo, Saulo, porque me persegues?’”. (Atos 9,3b-4). Todos os que acompanhavam Saulo ouviram a voz mas não enxergaram nada; quando a luz desapareceu o perseguidor dos cristãos estava cego.

Na oportunidade, o Senhor tinha dado instruções a Saulo para entrar na cidade e aguardar. Em Damasco, Saulo permaneceu por “3 dias sem ver, sem comer nem beber.” (Atos 9, 9)

Ao mesmo tempo que Ananias era convocado por Jesus para ir ao encontro de Saulo, lhe impor as mãos, o homem de Tarso também recebeu a visão de um homem que viria até ele Ananias um fiel discípulo de Jesus.

“Ananias foi. Entrou na casa e, impondo-lhe as mãos, disse: ‘Saulo, meu irmão, o Senhor, esse Jesus que te apareceu no caminho, enviou-me para que recobres a vista e fiques cheio do Espirito Santo.’ No mesmo instante caíram dos olhos de Saulo umas como escamas, e recuperou a vista. Levantou-se e foi batizado.” (Atos 9, 17-18)

Convertido, assumiu o nome de Paulo, partiu pelo mundo para propagar o nome daquele que lhe derrubou no caminho e o levantou como um novo homem. Sua missão de perseguidor dos cristãos passou a ser a de propagador do amor do Cristo. Incansável na sua obstinação por conquistar pessoas para sua nova fé, foi perseguido, preso e martirizado no ano 67 em Roma.