Casal 2Em tempos de igualdade social entre mulheres e homens, tem crescido em meio as famílias uma pratica da individualidade a luz do próprio conhecimento que tem possibilitado que a parceria matrimonial só funcione quando convém.

São muitos os casos onde os homens têm reclamado das cobranças, obrigações e deveres que as esposas têm lançado sobre os ombros dos esposos de forma e maneira involuntária. Assim, a vida familiar em muitos lares passou a funcionar da seguinte forma:

  • Quando tem um serviço pesado ou uma obrigação financeira de alto valor – o marido é o homem da casa
  • Quando tem um passeio a ser decidido, uma viagem a ser feita, ou o lugar que devemos morar é a mulher que decide.
  • As decisões de educar os filhos ou o que comprar para eles também passa pelo mesmo crivo.

Vivemos em dias de “igualdade”, onde a igualdade funciona num peso da balança e isso tende a dificultar a relação harmoniosa e pacifica entre os casais, bem como minar a parceria entre homem e mulher.

Algumas mulheres podem achar este texto machista e desrespeitoso para com as mulheres porque não expõem os deveres nem aquilo que os homens fazem. No entanto, lembremos que não estamos falando dos deveres dos homens, mas sim das mulheres.

Estamos falando de parceria instituída por Deus, que fez a mulher não do crânio do homem e muito menos dos neurônios, mas sim da costela, do lado do homem, para que ela andasse lado a lado do homem.

“Então o Senhor Deus mandou ao homem um profundo sono; e enquanto ele dormia, tomou-lhe uma costela e fechou com carne o seu lugar. E da costela que tinha tomado do homem, o Senhor Deus fez uma mulher, e levou-a para junto do homem.” (Gênesis 2, 21-22) Assim, o mais importante das decisões familiares é que elas, sejam tomadas a luz do evangelho em comum acordo entre ambos, afim de que, em Deus a paz, o amor e a alegria reinem nos lares como frutos de uma família cristã.

Equipe Mais de Deus