A semana Santa

A semana Santa é um tempo litúrgico especial da igreja católica e também das demais igrejas cristãs, é um período cheio de símbolos pascais, onde tem o seu início com o Domingo de Ramos culmina com o Domingo de Pascoa ou Domingo da Ressurreição; que junto com Pentecostes e o Natal, configuram-se nas 3 maiores festas da igreja.

Após os quarenta dias da quaresma, que como o Advento é um tempo de maior introspecção, pois visa incentivar o fiel a olhar para si na busca por uma vida mais cristã, esse tempo tem forte apelo a conversão. É também na quaresma que a igreja Católica do Brasil propõe através da CNBB a reflexão de um tema social junto aos seus membros.

Assim na Semana Santa cada dia tem um significado especial:

Jesus em Jerusalem

A entrada de Cristo em Jerusalém (1617), Sir Anthony van Dyck

DOMINGO DE RAMOS

É a celebração que abre a Semana Santa, quando Jesus é aclamado pela multidão, esse acontecimento leva muito a se perguntarem: O que representou a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém?

Assim, os cristãos segurando ramos realizam uma pequena procissão, relembrando a aclamação recebida por Jesus ao entrar em Jerusalém, como Messias e Rei, a liturgia destaca dois momentos importantes a saber:

  • A benção dos ramos e
  • A leitura do evangelho sobre a entrada em Jerusalém.

A cor litúrgica é a vermelha

Após a Santa Missa os ramos são levados para a casa onde devem ficar visíveis como um símbolo da Semana Santa.

SEGUNDA-FEIRA SANTA 

Neste dia, é comum em algumas paroquias que a Santa Missa faça a reflexão do Evangelho de São João 12, 1-11: “Seis dias antes da Páscoa, foi Jesus a Betânia, onde vivia Lázaro, que ele ressuscitara. Deram ali uma ceia em sua honra. Marta servia e Lázaro era um dos convivas. Tomando Maria uma libra de bálsamo de nardo puro, de grande preço, ungiu os pés de Jesus e enxugou-os com seus cabelos. A casa encheu-se do perfume do bálsamo. Mas Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, aquele que o havia de trair, disse: Por que não se vendeu este bálsamo por trezentos denários e não se deu aos pobres? Dizia isso não porque ele se interessasse pelos pobres, mas porque era ladrão e, tendo a bolsa, furtava o que nela lançavam. Jesus disse: Deixai-a; ela guardou este perfume para o dia da minha sepultura. Pois sempre tereis convosco os pobres, mas a mim nem sempre me tereis. Uma grande multidão de judeus veio a saber que Jesus lá estava; e chegou, não somente por causa de Jesus, mas ainda para ver Lázaro, que ele ressuscitara. Mas os príncipes dos sacerdotes resolveram tirar a vida também a Lázaro, porque muitos judeus, por causa dele, se afastavam e acreditavam em Jesus.”

Os momentos felizes de Jesus, onde Ele foi na casa de uma família que Lhe era muito estimada.

TERÇA-FEIRA SANTA

Este que é o terceiro dia da Semana Santa, Jesus anuncia a Sua morte, gerando um certo descontentamento com Seus discípulos. É nesta noite que Jesus também anuncia que será traído mostrando o traidor, Judas.

Evangelho de São Joao 13,21-33.36-38: “Naquele tempo, estando à mesa com seus discípulos, Jesus ficou profundamente comovido e testemunhou: “Em verdade, em verdade, vos digo, um de vós me entregará”. Desconcertados, os discípulos olhavam uns para os outros, pois não sabiam de quem Jesus estava falando.

Um deles, a quem Jesus amava, estava recostado ao lado de Jesus. Simão Pedro fez-lhe um sinal para que ele procurasse saber de quem Jesus estava falando. Então, o discípulo, reclinando-se sobre o peito de Jesus, perguntou-lhe: “Senhor, quem é?” Jesus respondeu: “É aquele a quem eu der o pedaço de pão passado no molho”. Então Jesus molhou um pedaço de pão e deu-o a Judas, filho de Simão Iscariotes. Depois do pedaço de pão, Satanás entrou em Judas. Então Jesus lhe disse: “O que tens a fazer, executa-o depressa”.

Nenhum dos presentes compreendeu por que Jesus lhe disse isso. Como Judas guardava a bolsa, alguns pensavam que Jesus lhe queria dizer: ‘Compra o que precisamos para a festa’, ou que desse alguma coisa aos pobres. Depois de receber o pedaço de pão, Judas saiu imediatamente. Era noite. 

Depois que Judas saiu, disse Jesus: “Agora foi glorificado o Filho do Homem, e Deus foi glorificado nele. Se Deus foi glorificado nele, também Deus o glorificará em si mesmo, e o glorificará logo. Filhinhos, por pouco tempo estou ainda convosco. Vós me procurareis, e agora vos digo, como eu disse também aos judeus: ‘Para onde eu vou, vós não podeis ir’”. Simão Pedro perguntou: “Senhor, para onde vais?” Jesus respondeu-lhe: “Para onde eu vou, tu não me podes seguir agora, mas me seguirás mais tarde”. Pedro disse: “Senhor, por que não posso seguir-te agora? Eu darei a minha vida por ti!” Respondeu Jesus: “Darás a tua vida por mim? Em verdade, em verdade, te digo: o galo não cantará antes que me tenhas negado três vezes”.

QUARTA-FEIRA SANTA

ss - The Last Supper (1652), Philippe de Champaigne

A última Ceia (1652), Philippe de Champaigne (Judas com as moedas da traição à esquerda)

O 4º dia da Semana Santa, destaca a traição de Judas, apresentando os fatos que vão culminam com a crucificação. Mostra o encontro com os chefes dos sacerdotes conforme descrito no Evangelho de São Mateus 26,14-25: “Então um dos Doze, chamado Judas Iscariotes, foi ter com os príncipes dos sacerdotes e perguntou-lhes: Que quereis dar-me e eu vo-lo entregarei. Ajustaram com ele trinta moedas de prata. E desde aquele instante, procurava uma ocasião favorável para entregar Jesus. No primeiro dia dos Ázimos, os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram-lhe: Onde queres que preparemos a ceia pascal? Respondeu-lhes Jesus: Ide à cidade, à casa de um tal, e dizei-lhe: O Mestre manda dizer-te: Meu tempo está próximo. É em tua casa que celebrarei a Páscoa com meus discípulos. Os discípulos fizeram o que Jesus tinha ordenado e prepararam a Páscoa. Ao declinar da tarde, pôs-se Jesus à mesa com os doze discípulos. Durante a ceia, disse: Em verdade vos digo: um de vós me há de trair. Com profunda aflição, cada um começou a perguntar: Sou eu, Senhor? Respondeu ele: Aquele que pôs comigo a mão no prato, esse me trairá. O Filho do Homem vai, como dele está escrito. Mas ai daquele homem por quem o Filho do Homem é traído! Seria melhor para esse homem que jamais tivesse nascido! Judas, o traidor, tomou a palavra e perguntou: Mestre, serei eu? Sim, disse Jesus.”

Em algumas comunidades católicas do interior do país, é comum a realização da “Procissão do Encontro” na Quarta-feira Santa.

Como também, em algumas dioceses é comum ser um dia onde os sacerdotes se reúnem na Celebração dos Santos Óleos.

QUINTA-FEIRA SANTA

A quinta-feira Santa marca 3 acontecimentos importantes que são a cerimonia do lava pés, a Instituição da Eucaristia e em alguns lugares a benção dos óleos. Assim, “a importância da Quinta-feira Santa” e muito expressiva para os cristãos, pois dá inicio ao Tríduo Pascal .

Também nesta noite em que se relembra a prisão de Jesus é comum em muitas paroquias a realização da vigília ao Santíssimo, relembrando os sofrimentos começados por Jesus nesta noite.

Os fatos marcantes deste dia são:

Os Santos óleos: Uma das cerimônias litúrgicas da Quinta-feira Santa é a bênção dos santos óleos usados durante todo o ano pelas paróquias:

  • O óleo do Crisma,
  • O óleo dos Catecúmenos e
  • O óleo dos Enfermos.

 Nessa cerimonia reúnem se os bispos e padres da diocese, numa reafirmação do compromisso de servir a Cristo.

SS - Christ Washing the Feet of the Disciples (1580), Paolo Veronese

Cristo lava os pés dos discípulos (1580), Paolo Veronese

O Lava-pés: O Lava-pés é um ritual litúrgico católico que acontece na celebração da Quinta-feira Santa, e recorda a última ceia de Jesus. Através desse gesto de lavar os pés dos discípulos, Jesus demonstra seu amor por cada um e mostrar a todos que a humildade e o serviço são o centro de Sua mensagem.

Normalmente o lava-pés e relembrado com uma encenação dentro da Missa, repetindo o mesmo gesto de Jesus. O bispo ou o padre, que lava os pés de algumas pessoas da comunidade, está imitando Jesus no gesto; com a finalidade de reafirmar o compromisso de estar a serviço da comunidade, para que todos tenham a salvação, como fez Jesus.

SS - The Last Supper (1562), Joan de Joanes

A última Ceia (1562), Joan de Joanes

A Instituição da Eucaristia: Também chamada de “Santa Missa da Ceia do Senhor”, na quinta-feira santa, o qual faz memória a Instituição da Eucaristia por Jesus, tem início o Tríduo Pascal. É a recordação da noite a qual o Senhor reuniu os discípulos para a ceia: “Durante a refeição, Jesus tomou o pão, benzeu-o, partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai e comei, isto é meu corpo. Tomou depois o cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos, porque isto é meu sangue, o sangue da Nova Aliança, derramado por muitos homens em remissão dos pecados.”  (Evangelho de São Mateus 26, 26-28)

Nessa ceia o senhor Jesus faz um pedido narrado no evangelho de São Lucas 22, 19e: “fazei isto em memória de mim.” Desde então, os cristãos passam a se reunir para a fração do pão, que está narrado nos 4 evangelhos, bem como testemunhado no Atos dos Apóstolos.

Para saber mais:

É nessa celebração que o Senhor Jesus instituiu o sacerdócio católico e deu-lhes poder para celebrar a Eucaristia. E em algumas paroquias é comum a realização de vigílias.

SS - The crucifixion (1505), Luca Signorelli

A Crucificação (1505), Luca Signorelli

SEXTA-FEIRA SANTA

Por ser uma data de tamanha importância no mundo cristão, onde Jesus foi crucificado por nossos pecados é feriado na maioria dos países cristãos do ocidente.

Em muitos lugares chamada de SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO ou SEXTA-FEIRA MAIOR, relembra o sofrimento que marcaram o dia em que Nosso Senhor Jesus Cristo é crucificado:

  • Sua agonia no monte das oliveiras,
  • Sua flagelação por algozes;
  • Sua coroação com espinhos;
  • Sua condenação, carrega a cruz até o Calvário;
  • Sua crucificação e morte.

Acontece nesse dia o sermão das 7 palavras e Celebração da paixão do Senhor, bem como encenações teatrais (fora do rito litúrgico). Neste dia também, são praticados o jejum e a abstinência da carne, em sinal de penitência e respeito pela morte de Jesus Cristo.

Para saber mais:

SÁBADO SANTO

Também chamada de “Vigília pascal”, e a continuação do tríduo pascal, onde os fiéis aguardam a ressurreição do Senhor, é a missa da expectativa, onde se recordam os feitos de Deus em prol a humanidade, motivo de seu grande amor.

“No Sábado Santo a Igreja permanece junto ao sepulcro do Senhor, meditando sua Paixão e Morte, abstendo-se do sacrifício da missa, com o altar desnudado”, é a noite que a igreja manifesta a noite das noites, “a noite da alegria verdadeira que une de novo o céu e a terra inteira”.

Segundo a liturgia, o Sábado Santo vai até às 18:00 (crepúsculo), após inicia-se a Vigília de Páscoa, quando o sacerdote apresenta em meio as trevas a existência de uma luz, que ilumina as trevas, simbolizada pelo Círio Pascal que é a luz do Cristo. Pois ao ressuscitar, Jesus vence a morte.

Para saber mais:

 

DOMINGO DE PÁSCOA

“O senhor ressuscitou verdadeiramente, aleluia! ”

SS - Jesus Appearing to the Three Marys (1650), Laurent La hire

Jesus aparece as 3 Marias (1650), Laurent La hire

O chamado Domingo da Ressurreição é representado pela sepultura vazia: “Depois do sábado, quando amanhecia o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o túmulo. E eis que houve um violento tremor de terra: um anjo do Senhor desceu do céu, rolou a pedra e sentou-se sobre ela. Resplandecia como relâmpago e suas vestes eram brancas como a neve. Vendo isto, os guardas pensaram que morreriam de pavor. Mas o anjo disse às mulheres: Não temais! Sei que procurais Jesus, que foi crucificado. Não está aqui: ressuscitou como disse. Vinde e vede o lugar em que ele repousou. Ide depressa e dizei aos discípulos que ele ressuscitou dos mortos. Ele vos precede na Galileia. Lá o haveis de rever, eu vo-lo disse.

Elas se afastaram prontamente do túmulo com certo receio, mas ao mesmo tempo com alegria, e correram a dar a boa nova aos discípulos. Nesse momento, Jesus apresentou-se diante delas e disse-lhes: Salve! Aproximaram-se elas e, prostradas diante dele, beijaram-lhe os pés. Disse-lhes Jesus: Não temais! Ide dizer aos meus irmãos que se dirijam onde Jesus se levanta de Sua sepultura e vence a morte. É o dia do grande milagre! O dia em que Cristo volta à vida através da Sua Ressurreição de entre os mortos. É o dia em que se celebra a Vida, o Amor e a Misericórdia de Deus”. (Evangelho de São Mateus 28, 1-10.)

Por marcar a ressurreição de Jesus, ‘o domingo de Páscoa’, é o dia mais importante para a fé cristã, pois Jesus vence a morte, ressuscita e pagando definitivamente o preço da nossa libertação, nos torna livre das garras do mal. A pascoa é tão grandiosa que sua comemoração é estendida por mais oito dias chamados de “Oitavas pascais”.

Por igual motivo a pascoa é feriado em vários países de tradição cristã.

Para saber mais:

Equipe Mais de Deus

Referencias:

  • Livros: Catecismo da Igreja Católica, Bíblia Católica, Pequeno Dicionário de Liturgia (Albet Urban/ Marion Bexten – Editora Santuário)
  • Site: Mais de Deus, Wikipédia.

Leia também: