Parece uma manchete apelativa, mas não é, desde do começo de setembro inúmeros sites tem divulgado o que seria a nova onda do momento. Um novo fetiche sexual entre inúmeros casais está virando cult entre jovens e adultos.

O que podemos chamar do fetiche do ETA (engravidar, transar e abortar); assim, os casais engravidam repetidamente e depois fazem vários abortos.

Segundo os praticantes o novo fetiche se desenvolve assim:

Uma mulher gravida, sessa sua menstruação, tem algumas semanas mais ativas e depois para não se comprometer com uma gestação e uma futura criança (que dá trabalho), se aborta e depois recomeça novamente o processo e valorizamos o sexo.

Certamente como comenta o site é um sinal triste, porém claro, de como a humanidade está se afastando cada vez mais de Deus.

Também se fala sobre um post intitulado ‘Pergunta sobre aborto e fetiche reprodutivo’, uma usuária revela que ela tem “uma amiga que tem um fetiche realmente poderoso para se reproduzir” e nunca usou controle de natalidade.

“Atualmente, ela está com um parceiro masculino que é como ela, e eles praticam o fetiche e já fizeram alguns abortos”, diz o post.

Outro entrevistado do sexo masculino compartilhou detalhes de seu próprio estilo de vida fetichista do aborto.

Eu conheço esse fetiche. Minha namorada e eu temos o mesmo fetiche. Minha namorada gosta de gravidez e ela gosta de abortar. Sua data preferida para abortar é entre 20 e 24 semanas de gestação. Eu gosto de engravida-la. E eu aproveito o tempo da gravidez dela. Ela não tem menstruação e é sexualmente muito ativa ”, ele escreve.

“Nos últimos dez anos em nosso relacionamento, fizemos sete abortos e minha namorada está grávida de novo com uma menininha”, acrescenta.

E a bagunça não para por aí, outro entrevistado faz elogios ao casal que compartilhou o fetiche demoníaco, escrevendo: “É bom (e raro) ouvir falar de um casal (homem e mulher) onde ambos os membros fazem aborto e gravidez. Este é um exemplo maravilhoso e poderoso de poder pessoal, onde o sexo encontra a violência e a criação se combina com a destruição. ”

Um comentário verdadeiramente doentio.

Assim, fica claro como a esquerda transformou o aborto de algo que costumava ser um último recurso, na vergonhosa virtude celebrada pelas pessoas. Isso mostra como tornar um fetiche sexual algo tão monstruoso sempre foi a etapa pretendida.

Equipe Mais de Deus

Fontes:

  • Europa em chamas
  • Summit