Desculpem–nos o termo apelativo da chamada, mas infelizmente é amis pura verdade. Muitas pessoas, sites, e inúmeras pessoas tem mostrado nos últimos dias suas preocupações pela floresta sul-americana que se espalha por nada menos que 8 países.

Mas é fácil falar da Amazônia quando não vivemos na floresta e logico que como brasileiros demos nos doer pois faz parte do nosso pais, do nosso chão-pátrio. Todavia é muito fácil falar da Amazônia sem saber que o que está acontecendo hoje (em maior intensidade) acontece todos os anos em maiores ou menores intensidade nesta época de seca. Nos anos 2000 e 2001 também foram anos de focos intensos de queimadas.

Se formos colocar o Brasil a limpo, o pais inteiro está pegando fogo, tem fogo na Amazônia principalmente em Mato Grosso, tem foto no Cerrado (Tocantins lidera a lista) e tem fogo na Mata Atlântica (minas Gerais também bota fogo na conta)

É fácil e bonito ver os países europeus falarem da Amazônia quando muitos destruíram suas imensas florestas e hoje mal reflorestam suas áreas. Hoje a Europa só tem uma pequena área de mata nativa. Há 3 semanas uma matéria divulgada no site “terça livre” assinalou que “61% do País são ocupados por vegetação nativa e 38,7% por propriedades rurais, nas quais há 11% de vegetação, 8% de lavouras e florestas, e 19,7% de pastagens”. O mesmo site mostra na matéria que “A Europa (sem a Rússia) detinha mais de 7% das florestas originais de seus países e hoje tem apenas 0,1%.”

Mas a hipocrisia vai além, muitos dos que saem nas ruas, que reclamam e balburdiam sobre o tema das queimadas o fazem sem ao menos olharem para o que fazem:

  • Não tem uma arvores sequer plantada em suas casas,
  • Reclamam das “sujeiras” geradas pelas folhas que caem no chão,
  • Jogam papeis na rua e ruas em q1ualquer lugar,

Mas vamos dar uma atençãozinha para as cidades, tanto da Europa como do Brasil (Sul e sudeste):

  • Existem inúmeras ruas que não tem sequer uma arvores, apenas cimento e asfalto.
  • No caso da Europa: cimento, asfalto e pedra.
  • Imensas áreas descampadas onde antes, num passado próximo existia vestígios de Mata atlântica.
  • Vejam os rios, o maior rio paulista, o tiete, há anos é um deposito de merda a céu aberto. E ai, você inclui: merda, papel, plástico, moveis, animais mortos, carros, etc..

Ainda podemos lembrar que a meses ou semanas atrás a Europa estava em chamas e ninguém falou nada, ou fez alardes, por que lá é Europa?

Não é questão de defender queimadas, mas é muito importante que tenhamos senso crítico e justo e saibamos defender a Amazônia brasileira; bem como, defender as áreas de florestas no sul e sudeste, existem inúmeros morros e montanhas totalmente pelados e que no passado eram áreas de Mata Atlântica e que não se tem um único esforço para o reflorestamento.

O que é ruim e de mal gosto é falar do rabo dos outros quando o seu está preso na porta!

Equipe Mais de Deus