“Neste momento extremamente dramático para a Igreja, ele deve admitir seus erros e, seguindo o proclamado princípio de tolerância zero, o papa Francisco deve ser o primeiro a dar um bom exemplo aos cardeais e bispos que acobertaram os abusos de McCarrick e renunciar junto com todos eles”

Carlo-Vigano

Arcebispo italiano Carlo Maria Viganò – autor do pedido de renúncia

Nesse tom, o arcebispo italiano Carlo Maria Viganò, de 77 anos, se manifestou por meio de uma carta no último sábado. Em sua carta o ex-diplomata da Santa Sé nos Estado Unidos, entre outubro de 2011 e maio de 2016; afirmou que desde 2013 o Papa Francisco sabia das acusações que envolviam o Cardeal Americano Theodore McCarrick e não o puniu.

Em sua carta, divulgada em vários jornais católicos, o arcebispo afirma haver uma “rede homossexual” e uma “conspiração do silencio” dentro dos muros do Vaticano.

Card-Theodore-McCarrick

Cardeal Americano Theodore McCarrick

McCarrick, hoje com 88 anos é investigado pela justiça americana por um suposto abuso de um garoto de 11 anos a mais de 40 anos; além de ser acusado por abusos de adolescentes e seminaristas.

Viganò que tem se mostrado um crítico ferrenho de Francisco aconteceu justamente no momento em que o Papa visitava a Irlanda (pais europeu assolado por incontáveis casos de abuso sexuais envolvendo religiosos)

Oremos para que Deus proteja a Igreja e a livre de principalmente todos os possíveis predadores dos nossos jovens e adolescentes.

Equipe Mais de Deus