Do latim ‘beatum’, a palavra significa ‘feliz’, ‘bem-aventurados’, é a terceira etapa do processo de canonização para declarar que um homem ou mulher sejam incluídos na lista de Santos da Igreja. Após essa etapa fica no aguardo a confirmação de dois milagres oriundos da intercessão da pessoa ‘investigada’. Atualmente (até a data de 2019) o numero de beatos brasileiros está em 51 pessoas.

Segue-se abaixo uma lista de pessoas que nasceram ou foram enviadas ao Brasil e a qual, suas ações e sua vida foram consideradas digna de beatificação segundo os processos investigatórios da Sagrada Congregação para as Causas dos Santos.

Beata Albertina Berkenbrock (mártir) – nascida em Imarui/SC em 11 de abril de 1919, foi morta em 15 de junho de 1931, aos doze anos de idade.

Conhecida como “nossa Albertina”, era filha do casal de agricultores, Henrique e Josefina Berkenbrock, e teve mais oito irmãos e irmãs. Foi batizada no dia 25 de maio de 1919, crismou-se a 9 de março de 1925 e fez a primeira comunhão no dia 16 de agosto de 1928. Teve vida simples e humilde no meio rural do seu município natal.

Os milagres seriam obtidos por invocação junto a seu túmulo, o que motiva peregrinações.

Sua beatificação se deu em 20 de outubro de 2007, na cidade de tubarão por Dom José Saraiva Cardeal Martins.

Festa litúrgica se dá no dia 15 de junho.

Beata Maria Assunta Caterina Marchetti – nascida em Lombrici di Camaiore em 15 de agosto de 1871, falece una cidade de São Paulo em 1 de julho de 1948), foi uma freira Católica que exerceu suas atividades no Brasil, de 1895 até sua morte.

Seu nome Assunta se dá por ter nascido no dia da Assunção de Nossa Senhora – quando Maria, Mãe de Deus, foi elevada aos céus. Era a terceira filha de Angelo Marchetti e Carola Ghilarducc

Madre Assunta foi beatificada em 25 de outubro de 2014. Na Catedral da Sé, em São Paulo

Beata Bárbara Maix (Maria Bárbara da Santíssima Trindade) nascida em Viena /Áustria, em 17 de junho de 1818 e faleceu no Rio de Janeiro em 17 de marco de 1873, religiosa foi a fundadora da Congregação da Irmãs do Imaculado Coração de Maria.

Sua vida se destaca pela grande disposição em ajudar as pessoas, tinha um coração imenso e acolhedor, se colocando sempre a disposição dos mais necessitados. Era de saúde frágil, sofria da asma e de problemas cardíacos.

Foi beatificada em 03 de novembro de 2010, na cidade de Porto alegre/RS

Festa litúrgica 06 de novembro

Beato Eustáquio van Lieshout – O Bem-Aventurado Eustáquio van Lieshout SSC, nasceu em 3 de novembro de 1890, em Laarbeck, Países Baixos. Filho de agricultores devotos, firmou votos em 1913

Em 1913, através da profissão dos votos religiosos, tornou-se oficialmente um membro da congregação dos Sagrados Corações de Jesus e de Maria e da Adoração Perpétua ao Santíssimo Sacramento do Altar. Adotando o nome religioso de Eustáquio.

Atendendo um chamado de seu superior, o padre Eustáquio van Lieshout veio como missionário ao Brasil em 1925.

Sacerdote muito envolvido e comprometido, atuou de início na cidade de Romaria, no Triangulo Mineiro, atuou como vigário paroquial, pároco e reitor do Santuário de Nossa Senhora da Abadia, além de ter atuado como conselheiro de sua congregação.

Após sua morte, em 30 de agosto de 1943, foi atribuída a ele a cura de um câncer de um devoto, constatada clinicamente e comprovada cientificamente. Esse relato consta no processo para sua beatificação, iniciado em 1997. Outros casos de curas e milagres também são relatados por várias pessoas.  Foi beatificado em 15 de junho de 2006 por Sua Santidade, o papa Bento XVI.

Desde então, sua festa memorial litúrgica se dá no dia de seu falecimento, 30 de agosto.

Beata Francisca de Paula de Jesus (Nhá Chica) – Francisca de Paula de Jesus, ou como é popularmente mais conhecida popularmente – Nhá Chica. Nasceu em São João Del Rei, no ano de 1810 e faleceu na cidade mineira de Baependi, no dia 14 de junho de 1895. Foi uma leiga brasileira, muito querida em sua cidade, sua fama e atitude acolhedora fez com que Nha Chica fosse considerada beata pela Igreja Católica desde o dia 04 de maio de 2013.

Filha e neta de escravos, foi batizada no dia 26 de abril de 1810

Francisca ficou órfã aos dez anos, menina humilde, era fervorosa devota de Nossa Senhora da Conceição, e, a pedido da mãe, passou a vida inteira a dedicar-se à prática de caridade. Leiga, foi reconhecida ainda em vida pelas pessoas como “a mãe dos pobres”. Por seus gestos de carinho e empatia para comotodos os que a procuravam, desde os mais humildes aos homens do Império, foi o que lhe trouxe tal merecimento.

Seu processo de beatificação teve prosseguimento quando uma graça acontecida no ano de 1995, foi atribuída a Nhá Chica.

Na ocasião, a professora Ana Lúcia Meirelles Leite, moradora de Caxambu, em Minas Gerais, teria sido curada de um problema congênito no coração, caso considerado muito grave pelos médicos. A cura teria se dado sem a necessidade de intervenção cirúrgica, tendo então sido atribuída às orações pela intercessão de Nhá Chica.

Nhá Chica, já em vida, passou a ser aclamada pelo povo como a Santa de Baependi, 

Sua festa litúrgica é lembrada em 14 de junho, data da sua morte

Beato Francisco de Paula Victor – Nascido na cidade mineira de Campanha em 12 de abril de 1827, faleceu em Três Pontas, 23 de setembro de 1905. Foi um sacerdote católico que viveu de forma heroica o seu ministério e faleceu com fama de santidade. Teve a sua beatificação autorizada pelo Vaticano após o reconhecimento de um milagre alcançado por sua intercessão.

A cerimônia oficial de beatificado ocorreu em 14 novembro de 2015 em Três Pontas (MG), sendo Sua Santidade representada pelo Cardeal Angelo Amato, Prefeito da Congregação da Causa dos Santos. Sua festa litúrgica é celebrada no dia 23 de setembro.

Beato Inácio de AzevedoO beato Azevedo tem como origem natalícia a cidade do Porto em Portugal. D. Inácio de Azevedo de Ataíde Abreu e Malafaia, mais conhecido como Beato Inácio de Azevedo, foi um jesuíta português do século XVI. É um dos “Quarenta Mártires do Brasil”, beatificados pelo Papa Pio IX em 11 de maio de 1854.

Inácio de Azevedo e mais 39 companheiros partiram a bordo do navio mercante Santiago, enquanto os demais companheiros seguiam em vasos de guerra.

O dia 15 de julho de 1570, perto da ilha La Palma, a Santiago foi atacada por uma frota de 5 velas e 300 homens, comandada pelo corsário huguenote Jacques de Sores. Com apenas 30 combatentes a bordo, a nau portuguesa tinha escassas hipóteses de ganhar o combate; depois de trocas de artilharia, a Santiago foi abalroada e abordada por dezenas de corsários que a dominaram após combates corpo a corpo. Os huguenotes pouparam parte da tripulação, mas massacraram os quarenta jesuítas chefiados por Inácio de Azevedo, lançando depois os corpos ao mar.

Festa litúrgica está reservada em 15 de julho

Os Quarenta Mártires do Brasil – Também conhecido como Mártires de Tasco-te compõem um grupo de 40 jovens da Companhia de Jesus com idade entre 20 e 30 anos, sendo 32 portugueses e 8 espanhóis, destinados às missões no Brasil em 1570. Eram no total 2 sacerdotes, 1 diácono, 14 irmãos e 23 estudantes, liderados por Inácio de Azevedo.

Durante a viagem, sua nau foi interceptada nas Canárias a 15 de julho de 1570, por navios de huguenotes, calvinistas franceses comandado pelo calvinista Jacques Sourie. Esses ao tomarem o conhecimento que os tripulantes eram missionários católicos, atiraram-nos ao mar.

Os mártires foram beatificados a 11 de maio de 1854 pelo Papa Pio IX.  

Em simultâneo com o momento do martírio, Santa Teresa de Ávila, no seu convento carmelita em Espanha, teve uma visão do martírio de Inácio de Azevedo com os seus companheiros e da sua entrada triunfal no Céu recebidos por Nossa Senhora e pelo próprio Jesus.

A festa litúrgica destes mártires católicos é celebrada no dia 17 de julho.

Beato João Schiavo – Giovanni Schiavo – ou João Schiavo, como ficou conhecido no Brasil – nasceu em 8 de julho de 1903, em Sant’Urbano de Montecchio Maggiore, na Itália

Foi ordenado presbítero, na Congregação dos Josefinos de Murialdo, em 1927, aos 24 anos. Aos 29, veio para o Brasil, chegando na localidade gaúcha de Jaguarão em setembro de 1931.

Homem de profunda piedade eucarística, total entrega à sua vocação e amor operante aos mais pobres, Schiavo desempenhou o seu ministério no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Está sepultado no distrito de Fazenda Souza, em Caxias do Sul.

Sobre o beato João Schiavo dizia que “Ele se sentia intimamente brasileiro, passou sua vida sacerdotal e apostólica no Brasil, onde encontrou terreno forte para praticar de modo heroico o evangelho de Jesus Cristo”.

Foi o superior provincial dos Josefinos no Brasil de 1947 a 1956. Além disso, foi o responsável por iniciar no Brasil um grupo do ramo feminino da sua congregação. Adoeceu gravemente no fim de 1966, com complicações no fígado causadas por uma hepatite, morrendo em 27 de janeiro do ano seguinte. Em sua morte muitos diziam que estavam diante de um verdadeiro santo.

Beata Lindalva Justo de Oliveira, FDC – Assu, no Rio Grande Norte, em 20 de outubro de 1953, foi uma religiosa das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, proclamada beata mártir pela Igreja Católica no dia 2 de dezembro de 2007.

Todos os testemunhos colhidos para o processo de beatificação relatam sua simplicidade, cordialidade e alegria com que tratava a todos. Realiza serviços simples e humildes para os idosos internos.

Na manhã da sexta-feira santa do dia 09 de abril de 1993, depois de participar da Via-Sacra, na paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, em Salvador, foi surpreendida por um ex-interno que desfechou golpes de faca que tiraram a sua vida

Sua morte, foi associada a um verdadeiro martírio, decorrente das 44 perfurações que os médicos legistas reconheceram em seu corpo

Seus restos mortais encontram-se na Capela das Relíquias da Beata Lindalva, na região central da cidade do Salvador, desde o dia 6 de abril do ano de 2014. Por guardar as relíquias de uma mártir católica a capela é um importante centro de devoção e recebe diariamente a visita de muitas pessoas. Sua festa litúrgica acontece no dia 07 de janeiro.

Beato Manuel Gómez González (Mártir) – Nascido em São José de Ribarteme, As Neves, na Galiza, em 28 de maio de 1877 

Filho de agricultores, foi ordenado sacerdote em 24 de maio de 1902, tendo exercido o seu ministério sacerdotal em sua terra natal. No ano de 1904, se transferiu para a Arquidiocese de Braga, Portugal, onde exerceu a função de pároco nas paróquias de:

  • Nossa Senhora do Extremo (1905-1911), e de 
  • Santo André de Taias e 
  • São Miguel de Barrocas (1911-1913)

Por causa das perseguições políticas encontradas na Primeira República Portuguesa, que se intensificavam cada vez mais; Manuel González decidiu-se por partir para o Brasil em 1913, onde foi trabalhar na paróquia de Soledade, jurisdição da Diocese de Santa Maria, Rio Grande do Sul, e em 1915na paróquia de Nonoai, na mesma Diocese e Estado.

Junto a Adílio Da Ronch, visitava as capelas da região. Numa das visitas rotineiras, ambos, o padre e seu ajudante coroinha foram assassinados em 21 de maio de 1924, na localidade de Feijão Miúdo, no dia 21 de maio de 1924, região do atual município de Três Passos.

Os dois são venerados pelos fiéis católicos da região e em 2007 foram beatificados por mandato do Papa Bento XVI em uma cerimônia presidida pelo Cardeal José Saraiva Martins.

Sua festa litúrgica se dá no dia 21 de maio

Beato Adílio Da Ronch (Mártir) – Nascido no município gaúcho de Dona Francisca, em 25 de outubro de 1908, um foi um coroinha (acólito) brasileiro.

Filho de Pietro Da Ronch e Giuditta Segabinazzi, foi morar com os pais na também gaúcha cidade de Nonoai. Muito católicos, eram devotos e ativos na comunidade

Depois de sua Primeira Comunhão, começou a auxiliar no serviço do altar e o acompanhar pelo interior, levando os sacramentos para os doentes. Ia troteando em seu burrinho, pelas estradinhas de terra ao lado do bom sacerdote.

Junto ao padre Manuel Gómez González, pároco do Nonoai, visitava as capelas da região. Numa das visitas rotineiras,

Quando chegaram na localidade de Feijão Miúdo, no atual município de Três Passos, o padre Manuel e seu coroinha Adílio, foram esperados por bandidos armados de tocaia, escondidos na mata. Esses bandidos não queriam saber de um padre ensinando a religião.

Padre Manoel e Adílio, com apenas 16 anos na oportunidade foram, fato que causou uma grande comoção na região.

Foi proclamado venerável em 16 de dezembro de 2006 e beatificado no dia 21 de outubro de 2007 pelo Papa Bento XVI.

Sua festa litúrgica é celebrada todo o dia 21 de maio, data do seu martírio.

Saiba mais acessando Beato Adílio Da Ronch (Mártir)

Beato Mariano de la Mata Aparício, ou Padre Mariano, como também é conhecido. Nasceu em La Puebla de Valdavia, região de Castela e Leão (Espanha).  

Veio para o Brasil, em 1931, um ano após sua ordenação, indo trabalhar como vigário na cidade de Taquaritinga, a 350 km de São Paulo. Anos depois foi designado para São José do Rio Preto e, finalmente, transferido para São Paulo. Mantinha rotina rígida e disciplinada, e amava crianças e pobres.

Morreu em São Paulo no dia 05 de abril de 1983, vítima de câncer no abdômen.

Em 31 de maio de 1997 teve início o processo de pedido de beatificação junto ao Vaticano, conduzido pelo então cardeal Dom Paulo Evaristo Arns

Padre Mariano foi beatificado em 5 de novembro de 2006. Tendo a missa de sua beatificação sido realizada na Catedral da Sé na cidade de São Paulo, no mesmo dia da sua festa litúrgica, 05 de novembro, também chamada de “Dia do Beato Mariano”.

Equipe Mais de Deus

Leia também: