Terço-para-LulaNos últimos dias surgiu um vídeo que logo viralizou nas redes sociais, onde um senhor de nome Juan Grabois, teve uma entrevista interpretada de maneira errônea, onde o tradutor não atento aos termos usados, o identificou como membro do Conselho de Justiça e paz e que estava no Brasil com a missão de entregar um rosário abençoado pelo papa e cujo destinatário era o ex-presidente.

O anuncio do suposto terço papal, foi também publicado na pagina oficial do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, numa postagem onde expõe uma fala do Papa Francisco, sobre as perseguições politicas feitas a algumas pessoas.

A notícia logo chegou a boca do povo inclusive ao senado federal, onde a senadora Gleisi Roffman (aquela senadora que pediu ajuda ao mundo árabe sobre a prisão de lula”), subiu a tribuna para alardear com grande alegria o presente enviado pelo Papa Francisco.

Para tristeza e vergonha da senadora petista a notícia não era verdadeira e o vaticano enviou uma nota via rede social desmentindo a origem do presente e deixando claro que o terço era sim abençoado pelo Papa Francisco, mas que nunca foi enviado a Lula, sendo a decisão de entrega-lo ao ex-presidente pessoal do advogado.

Vaticano-6

É a segunda vez que a igreja emite uma nota contraria a um pronunciamento da senadora petista neste ano, a primeira foi em maio de 2018, logo após a mesma ter convocado uma romaria a Basílica Nacional de Aparecida:

Vale lembrar que mesmo com a nota sobre a peregrinação petista, a basílica recebeu com apoio de alguns padres a romaria, pois todos tem direito de buscar a intercessão de Maria; no entanto, fazer com que o Santuário de Aparecida vire palanque político pela liberdade de Lula é demais e coloca em cheque a própria doutrina católica que é clara ao dizer que “Qualquer Católico que colabore com o Comunismo ou Pro comunismo deve ser excomungado automaticamente e independente da sentença do Vaticano”. Papa Pio XII.

Equipe Mais de Deus

Leia também: