Nas duas últimas semanas as redes sociais voltaram a compartilhar as gravações de pessoas que aparecem dando um “rodão” na pessoa do meio.

A brincadeira maldosa consiste em 3 pessoas estarem juntas e onde as duas da pontam convidam a do meio para pular de maneira ordenada ou de maneira diferenciada. Numa demonstração, as duas da ponta pulam e convidam a do meio a imitar. No novo pulo elas contam e enganando a do meio apenas esta pessoa pula, e as duas que ficam paradas passam a rasteira e derrubam a pessoa no chão.

Veja o vídeo tirado da internet abaixo:

Com a brincadeira maldosa do rodão, que também é chamada de rasteira, o perigo de morte é seriamente ignorado, já que ao cair a pessoa que leva a rasteira pode bater sua cabeça, machucar-se seriamente e vir a morte.

Foi o que aconteceu com uma garota da cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte, em novembro de 2019. A garota em questão era Emanuela Medeiros, de 16 anos, que sofreu um traumatismo craniano, foi socorrida pela direção da escola e levada ao Hospital Regional Tarcisio Maia, no bairro Aeroporto, onde foi internada, mas veio a falecer.

Independentemente de qualquer coisa a brincadeira que está novamente em evidencia, merece ser combatida e os responsáveis precisam conversar com pais e alunos para que está e outras brincadeiras possam ser erradicadas das escolas, não se tornando uma nova baleia azul.

No vídeo abaixo 3 jovens fizeram um alerta contra o vídeo do rodão ou rasteira:

Equipe Mais de Deus

Leia também: