caucasian-84418_640Hoje vamos tratar exclusivamente da parte que diz respeito ao homem nessa disputa afetiva com vista de aprender o que Deus quer de cada um:

Aqui vemos a clareza da palavra de Deus ao dizer: “Maridos, amai as vossas mulheres, como cristo amou a igreja, e se entregou por ela” – Efésios 5, 25. Tem algo errado aqui? Nada! Todavia, quando isso não acontece é porque aqui o homem se esfriou o amor verdadeiro do casal, ou então, o que é tão pior quanto, o esposo se afastou de Cristo.

É bíblico e sublime o que acontece com um casal: “Por isso, o homem deixará pai mãe e se unirá a sua mulher, e os dois constituirão uma só carne”. Efésios 5, 31. Ambos se constituem um e quando um agride o outro, passa a atentar contra si mesmo.

 “Assim, os maridos devem amar as suas mulheres, como a seu próprio corpo. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. Certamente, ninguém jamais aborreceu a sua própria carne; ao contrário, cada qual a alimenta e trata, como Cristo faz à sua igreja”.  Efésios 5, 28-29.

Mais do que tomar a decisão de eliminar um da vida do outro, cada dia é dia de curar a possível ferida causada, pois quando um esposo fere a esposa, fere se a si mesmo e ambos, homem e mulher saem feridos, os filhos saem feridos e todos saem perdendo.

Curar a ferida pode ser dolorido, mas é menos sofrido do que amputar uma parte do corpo; pois quando fazemos esse processo de cura através do perdão, a luz da palavra e da Santa comunhão cura-se não só o casal, mas toda a família. É muito importante que ambos aprendam a utilizar palavras simples que geram gentileza e tudo se transformará: obrigado, me perdoe, podem fazer uma grande diferença, e serão ainda mais eficazes se ao invés de olhar os defeitos do outro se passar a elogiar as qualidades.

Pense nisso…

Sejamos, portanto, casais Mais de Deus.

Se precisar releia: