Greve-geralA vida deve ficar um pouco tumultuada nesta sexta-feira (14/06), Centrais Sindicais de todo o Brasil, estão convocando uma greve geral contra alguns pontos do governo, como:

  • A Reforma da Previdência,
  • Pela retomada de empregos,
  • Retomada do crescimento e
  • Contra o contingenciamento na educação.

E não será nenhuma surpresa se temas que bombaram nos protestos dos “estudantes” como:

  • Lula Livre 

E também o vazamento das conversas dos procuradores da Lava Jata farão com que possam haver novas cobranças politicas como:

  • Sergio Moro – investigado .

As centrais estão atuando para que principalmente os trabalhadores dos setores ligados aos transportes cruzem os braços afim de que, a percepção de greve seja maior. Assim, categorias como dos metroviários e ferroviários da região metropolitana já aderiram a paralisação. Como também a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e também a União Nacional dos Estudantes (UNE).

Em contrapartida, as Escolas privadas não deverão aderira a greve, e o funcionário que assim o fizer, terá o seu dia descontado.

Fica a dúvida sobre os funcionários que não quiserem aderir à greve, ou que por diversos motivos não possam aderir por serem de funções essenciais, se poderão trabalhar livremente. Já que quando existe a escolha a greve se torna claramente aceita por adesão e quando, não permite a opção, e existe o barramento de atividades importantes quer por ameaças ou obstrução a greve é impositiva.

Equipe Mais de Deus