CorupçãoNos últimos meses, a palavra corrupção tem tido um grande destaque nas conversas de rua, nas casas e tudo isso graças a uma operação policial chamada “lava jato”

No ano de 2013 a população saiu às ruas para cobrar punição aos espertalhões da sociedade e no ano de 2016 voltou as ruas para pedir o fim do governo corrupto do PT, que ao longo de 1 década, orquestrou o maior escândalo de desvio de dinheiro público já visto no Brasil. Esquema esse que teve início com o mensalão e culminou nos desvios de empreiteiras, Petrobras e outras empresas.

Todos esses acontecimentos colocaram o Brasil na sua maior crise Econômica, Política e Moral da história. E que fizeram escândalos como do ex-presidente Collor e do deputado Paulo Maluf parecer coisa de amadores, algo comparado como tirar doces de crianças.

Assim, diante da desmoralização social e política da nação inúmeras perguntas rodeiam a mente do brasileiro:

  • Como acabar com a corrupção?
  • Uma intervenção militar resolveria?
  • Prender todo mundo?
  • Acabar com os partidos políticos?
  • Mudar o regime político?

Sem contar que a sensação de que todo esse esforço pode acabar em pizza, ronda o imaginário da população. Assim, vemos a luta de braços travada entre a polícia federal e alguns políticos envolvidos nos inúmeros escândalos. Soma-se ainda, os últimos capítulos no qual enquanto um grupo manda prender, o outro manda soltar.

A situação brasileira é tão grave, que a série de TV americana “House of cards”, do Netflix, postou no seu twiter, no dia 17 de maio de 2017, a seguinte menção em relação a situação brasileira: “Tá difícil competir”. Menção esta que sugere em entrelinhas que por mais que os escritores e roteiristas pensem em situações para a serie o que se acontece no Brasil supera os mais brilhantes pensadores da série.

Assim, só existe uma maneira de virarmos o jogo do moral com o imoral:

  • Mostrar que somos filhos da luz! Do mesmo modo que a palavra de Deus nos pede dizendo que “a criação aguarda ansiosamente a manifestação dos filhos de Deus.”(Romanos 8,19). Os cristãos precisam mostrar a sua cara. Com suas atitudes. Infelizmente é preciso apontar o dedo e julgar, separar no meio dos políticos aqueles que estão envolvidos com atitudes imorais comprovadas e fazer campanha contraria.

Assim, temos uma arma: o voto. Não podemos votar nas pessoas que hoje estão envolvidas em situações de imoralidades.

Equipe Mais de Deus

Leia também: