Vimos no texto “Tragédias: porque Deus permite que elas aconteçam? ”; que o mundo está sujeito ao maligno e que as aflições estavam previstas pelo próprio Jesus.

women-418452_640

Pecado moral – todo tipo de libertinagem e imoralidade que recaiu sobre o homem.

No entanto, podemos ver que muitas vezes o pecado nos envolve de uma forma tão grande que nos aprisionam e causam verdadeiras tragédias em nossas vidas, veja como exemplo os problemas descritos em gálatas 5, 19-21: “Ora, as obras da carne são estas: fornicação, impureza, libertinagem, idolatria, superstição, inimizades, brigas, ciúmes, ódio, ambição, discórdias, partidos, invejas, bebedeiras, orgias e outras coisas semelhantes. Dessas coisas vos previno, como já vos preveni: os que as praticarem não herdarão o Reino de Deus”! Sem dúvida alguma, tais atitudes tem a capacidade não só de aprisionar uma pessoa e trazer serias consequências sobre suas vidas, como também de afastar as pessoas de Deus. Afinal de contas o pecado nos afasta de Deus sim: “Não, não é a mão do Senhor que é incapaz de salvar, nem seu ouvido que é demasiado surdo para ouvir, são vossos pecados que colocaram uma barreira entre vós e vosso Deus”. (Isaías 59, 1-2a)

earthquake-1665878_640

Pecado natural – todo tipo de descontrole que recaiu sobre a natureza

Se, “o mundo todo jaz no maligno” (1 João 5, 19), “toda a criação geme e sofre” (Romanos 8, 22). Diante disso, humanidade e criação estão sujeitas ao que podemos chamar de ‘pecado moral’ que é aquilo que está diretamente ligado a nós e o qual já descrevemos acima; e também o ‘pecado natural’, que está ligado a todo o tipo de tragédias naturais como terremotos, furacões, maremotos, catástrofes, pragas entre outras coisas que mostram um descontrole da natureza.

Esses dois fatores, vão sem dúvida alguma, influenciar a nossa vida moderna, trazendo  trágicas consequências no nosso dia a dia; visto que, todos estão previstos pela palavra de Deus , afim de, antever o grande dia do Senhor.

Sobre essa situação a palavra de Deus é clara ao dizer em Romanos 5, 12 que a morte é consequência do pecado: “assim, a morte passou a todo o gênero humano, porque todos pecaram”, causando um desequilíbrio sem precedentes em toda a vida na Terra e que consequentemente mais cedo ou mais tarde irá recair sobre nós através das grandes chuvas, do aquecimento global e do desmatamento descontrolado.

Mas nem tudo está perdido, pois Jesus ao morrer na cruz nos regatou: “Porque vós sabeis que não é por bens perecíveis, como a prata e o ouro, que tendes sido resgatados da vossa vã maneira de viver, recebida por tradição de vossos pais, mas pelo precioso sangue de Cristo, o Cordeiro imaculado e sem defeito algum, aquele que foi predestinado antes da criação do mundo e que nos últimos tempos foi manifestado por amor de vós”. (1 São Pedro 1, 18-20)

Se queremos, pois, amenizar os sofrimentos e vivermos na bênção, vivamos, pois, como filhos de Deus e assim, sua palavra fará sentido e coerência em nossas vidas; pois está escrito: “pois se pelo espirito mortificardes as obras da carne, vivereis” (Romanos 8, 13) porque “todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus” (Romanos 8, 28)

Veja também: Tragédias: porque Deus permite que elas aconteçam?