communication-1991849_64015 Conselhos Bíblicos que farão a diferença em sua vida (Série)

É comum encontrar pessoas em nosso meio cujo palavreado é inapropriado e indecente. São pessoas que usam e abusam de um linguajar vulgar para tratar assuntos corriqueiros. E em muitas vezes essas mesmas pessoas caminham e ou exercem papeis de liderança em nossas comunidades esbanjando livremente de palavras grosseiras em seu dia a dia.

E mais do que isso é quando descobrimos que essas pessoas também somos nós que no dia a dia e em nossas casas agimos do mesmo modo.

Infelizmente diante da suposta liberdade que se baseiam para justificar esse estilo desbocado de viver, e que em muitas vezes atrai até a rizada de inúmeros cristãos, esse linguajar não é recomendado pela palavra de Deus. São Paulo em sua carta ao Efésios 4, 29 nos adverte: “Nenhuma palavra má saia da vossa boca, mas só a que for útil para a edificação, sempre que for possível, e benfazeja aos que ouvem”.

Alguns dizem que é importante expor pra fora, que é importante extravasar.

Analisemos um fato se a palavra de Deus é a verdade e acreditamos como cristãos que ela expressa nossas verdades, então podemos também verdadeiramente expressar que é a mais pura verdade bíblica dizer que “a boca fala do que o coração está cheio” (Evangelho de S. Mateus 12, 34)

Sendo assim, ao expressar nosso palavreado inculto, declaramos abertamente que estamos cheios de devassidão, imoralidade e sentimentos de desamor.

Veja quando dizemos:

  • Vá a mer…..
  • Vá a puta que lhe p…..
  • Vá se fu….
  • Vá tomar no c….

Que ligação de cultural tem isso com o amor? E se determinarmos que isso não é amor, estamos vivendo o desamor e sem quem não ama não conhece a Deus determinamos que vivemos afastados e distantes de Deus.

Se queremos ser de Deus, então precisamos ser por completo em atitudes e também em atos de fé.

Ricardo Mari e Equipe Mais de Deus

Leia também: