Juan-GuidoA República Bolivariana da Venezuela, vive há anos uma crise econômica, política e moral desde que Hugo Chaves assumiu a presidência do pais e começou a implantar uma república socialista de princípios comunistas.

A situação não vinha bem com perseguição aos oposicionistas e a todas as pessoas que discordavam do governo, fechamento de emissoras de TV, rádios e jornais que não caminhavam na cartilha do governo.

Com a morte de Chaves, o chavismo não se findou e com a chegada de Nicolas Maduro as coisas foram piorando cada vez mais na área econômica:

  • Com a falta de insumos para as indústrias,
  • A falência de empresas,
  • Desemprego,
  • E uma hiperinflação de mais de 1.000.000% (1 milhão)
  • Culminando na dificuldade do mercado em fazer rodar a economia.

Todos esses problemas foram o estopim para que a bola de neve começasse a descer morro abaixo em todos os setores da sociedade venezuelana:

  • Falta de alimentos,
  • Falta de medicamentos,
  • E a população passou a depender de cotas de alimentos distribuídos pelo governo que mal davam para uma pessoa.

Tentando esconder o problema, medidas econômicas que só pioraram a situação levando a ua quebra da economia do pais gerando outros fatores como:

  • Aumento da criminalidade,
  • Surgimento de milícias armadas e
  • O estabelecimento de uma sensação de caos social nunca antes visto.

Disposto a mudar a situação a Assembleia Nacional Venezuelana, onde a maioria é oposicionista resolveu apoiar o presidente da casa e confirmar Juan Guaidó como presidente interino.

Agora a Venezuela encontra-se dividida com 2 presidentes:

  • Nicolas Maduro que quebrou o pais e o
  • Juan Guaidó, que por ser presidente da Assembleia Nacional, assumiu-se como presidente alegando que o governo usurpou o poder.

Guaidó de 35 anos, já foi reconhecido por alguns países latino americano, inclusive pelo Brasil e agora trava uma disputa interna com Maduro, que a cada dia que passa se sente mais acuado e só não caiu por conta do apoio dos militares.

Maduro só tem apoio nas Américas do México, Bolívia, Nicarágua e Cuba, além de Russia e China (na ásia). Mas o pior de tudo isso é pensar que o Brasil apoiou essa ditadura que só ferrou com o povo venezuelano.

Equipe Mais de Deus

Leia também: