Jesus Pantocrator – (Século VI – Mosteiro de Santa Catarina – Sinai/Egito)

Jesus Pantocrator – (Séc. VI – Mosteiro de Santa Catarina – Sinai/Egito)

Os dogmas sobre a pessoa de Jesus Cristo, constituem o mais profundo estudo compilado ao longo de séculos pela Igreja Católica Apostólica Romana, com a finalidade de esclarecer segundo as revelações divinas, a mais bela e clara verdade da pessoa do filho de Deus.

6 – DOGMA (DA FILIAÇÃO) SOBRE JESUS CRISTO SER O VERDADEIRO DEUS E FILHO DE DEUS POR ESSÊNCIA – O Cristo possui a infinita Natureza Divina com todas as suas infinitas Perfeições, por haver sido gerado eternamente por Deus. No qual afirmou que Jesus se constitui o Emanuel – que significa “Deus conosco” conforme profetizado pelo profeta Isaías no capitulo 7, 14c.

7 – DOGMA DAS DUAS NATUREZAS DE JESUS – QUE NÃO SE TRANSFORMAM E NEM SE MISTURAM OU CONFUNDEM – Declara o Concílio de Calcedônia (451, IV): “Nosso Senhor Jesus Cristo, Ele mesmo perfeito em Divindade e Ele mesmo perfeito em humanidade (…) que se há de reconhecer nas duas naturezas: sem confusão, sem mudanças, sem divisão, sem separação e de modo algum apagada a diferença de natureza por causa da união, conservando cada natureza sua propriedade e concorrendo em uma só Pessoa” (Dz. 148).

Conforme as Sagradas Escrituras, “o Verbo se fez carne…” (São João 1,14). / “…o qual, sendo de condição divina, não reteve avidamente o fato de ser igual a Deus, mas se despojou de Si mesmo, tomando a condição de servo, fazendo-se semelhante aos homens e aparecendo em seu porte como homem” (Filemon 2,6-7). Vemos então que Cristo é possuidor de uma íntegra Natureza Divina e de uma íntegra natureza humana: a prova está, entre outros, nos seus milagres, em sua Ressurreição, em suas dores e no seu padecimento.

8 – DOGMA (DAS NATUREZAS) – ONDE CADA UMA DAS NATUREZAS EM CRISTO POSSUI UMA PRÓPRIA VONTADE FÍSICA E UMA PRÓPRIA OPERAÇÃO FÍSICA – Declara o III Concílio de Constantinopla (680-681): “Proclamamos, conforme os ensinamentos dos Santos Padres, que não existem duas vontades físicas e duas operações físicas, de modo indivisível, de modo que não seja conversível, de modo inseparável e de modo não confuso. E estas duas vontades físicas não se opõem uma à outra como afirmam os ímpios hereges…” (Dz. 291 e Dz. 263-288).

Deus Filho diz a Deus Pai nas Sagradas Escrituras: “Não seja como Eu quero, mas sim como Tu queres” (Evangelho de São Mateus 26,39). “Não seja feita a minha vontade, mas sim a Tua.” (Evangelho de São Lucas 22,42). – Diz ainda aos discípulos: “Pois desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.”  (Evangelho de São João 6,38). E também: “Ninguém a tira de mim, mas eu a dou de mim mesmo e tenho o poder de a dar, como tenho o poder de a reassumir. Tal é a ordem que recebi de meu Pai.”  (São João 10,18).

Apesar da dualidade física das duas vontades, existiu e existe a unidade moral, porque a vontade humana de Cristo se conforma em livre subordinação, de maneira perfeitíssima à Vontade Divina.

9 – DOGMA (DA FILIAÇÃO) ONDE  JESUS CRISTO, AINDA QUE HOMEM, É FILHO NATURAL DE DEUS PAI – “Mas quando veio a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, que nasceu de uma mulher e nasceu submetido a uma lei, a fim de remir os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a sua adoção.” (Missal Romano, Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus, 2ª Leitura – Gl 4, 4-5)

10 – DOGMA (DO SACRIFÍCIO PASCAL) ONDE CRISTO IMOLOU-SE A SI MESMO NA CRUZ COMO VERDADEIRO E PRÓPRIO SACRIFÍCIO – No inefável Mistério, Cristo, por sua natureza humana, era ao mesmo tempo Sacerdote e Oferenda, mas por sua Natureza Divina, juntamente com o Pai e o Espírito Santo, era O Mesmo que recebia o Sacrifício.

11 – DOGMA DO CRISTO (QUE) NOS RESGATOU E RECONCILIOU COM DEUS POR MEIO DO SACRIFÍCIO DE SUA MORTE NA CRUZ – Jesus Cristo quis oferecer-se a Si mesmo a Deus Pai, como Sacrifício apresentado sobre a ara da Cruz em sua Morte, para obter-nos o perdão eterno.

12 – DOGMA DA RESSURREIÇÃO – AO TERCEIRO DIA DEPOIS DA SUA MORTE, CRISTO RESSUSCITOU GLORIOSO DENTRE OS MORTOS – Ao terceiro dia, ressuscitado por sua própria Virtude, levantou-se Nosso Senhor Jesus do sepulcro.

13 – DOGMA DA ASCENSÃO – CRISTO SUBIU EM CORPO E ALMA AOS CÉUS E ESTÁ ASSENTADO A DIREITA DE DEUS PAI – Ressuscitou dentre os mortos e subiu ao Céu em Corpo e Alma.

Equipe Mais de Deus

Leia também:

Referencias:

  • Livros: Catecismo da Igreja Católica
  • Sites: O fiel católico, Wikipedia