chalice-1591668_960_720Segundo a Igreja Católica “a Eucaristia é a fonte e o ápice de toda a vida cristã”. (CCIC 271). A eucaristia cumpre a promessa de Jesus que disse: “Eu estarei com vocês todos os dias”. (Evangelho de São Mateus 28, 20). Define-se assim, como “o próprio sacrifício do Corpo e do Sangue do Senhor Jesus, que Ele instituiu para perpetuar pelos séculos até Seu retorno, o sacrifício da Cruz, confiando assim, à sua Igreja, o memorial de sua Morte e Ressurreição. É o sinal da unidade, o vínculo da caridade, o banquete pascal, no qual se recebe Cristo, a alma é coberta de graça e é dado o penhor da vida eterna”. (CCIC 271/CIC 1322-1323   1409)

Portanto a Eucaristia, é para os católicos próprio Cristo?

consecration-

Momento de apresentação das oferendas, durante a consagração

Sim. É na eucaristia que encontramos a presença real de Cristo, “com o seu corpo e o seu sangue, com sua alma e a sua divindade. Nela está, portanto, presente de modo sacramental, ou seja, sob as espécies eucarísticas do pão e do vinho, Cristo todo inteiro: Deus e homem”. (CCIC 282/ CIC 1373-1375 e 1413)

Essa presença real do Cristo se dá através da transubstanciação que “significa a conversão de toda a substância do pão na substância do Corpo de Cristo e de toda a substância do vinho na substância do Seu Sangue. (CCIC 283)

Onde o pão e o vinho deixam de ser o que são através da imposição das mãos do sacerdote. “Essa conversão se realiza na oração eucarística, mediante a eficácia da Palavra de Cristo e da ação do Espírito Santo. Todavia, as características sensíveis do pão e do vinho, ou seja, as “espécies eucarísticas”, permanecem inalteradas”. (CCIC 283/CIC 1376-1377 e 1413)

Dos sete sacramentos, a Santa Eucaristia é o mais central e importante para o catolicismo. Pois através dele o fiel católico relembra o sacrifício de Jesus na Cruz, no qual está caracterizado o ato supremo de amor de Deus para com o homem.

É através da eucaristia que Cristo “ao realizar sacramentalmente a sua Páscoa nos dá o seu corpo e o seu sangue … e nos une a si e entre nós no seu sacrifício. ” (CCIC 287). Por causa dessa união a eucaristia também é chamada de comunhão, palavra do latim “communio” que significa com união, onde o fiel se une ao cristo e vice-versa, tornando-se como um sacrário vivo do corpo santo de Cristo. É por isso que São Fulgêncio se expressou dizendo: “o cálice que bebemos é a comunhão com o sangue de Cristo, e o pão que partimos e a comunhão com o corpo do Senhor, porque, mesmo sendo muitos, somos um só pão e um só corpo, pois todos participamos de um só pão”.

Também sobre a comunhão Santa Tereza D’Avila disse:  “Não há melhor meio para se chegar à perfeição do que a comunhão frequente”.

sacrarioOs sacrários

Mediante a importância dada a Eucaristia, as hóstias consagradas e não consumidas devem ser transladadas e consequentemente guardadas num recipiente fechado e protegido e que se configuram no coração de uma Igreja ou capela Católica conforme normatiza o Código de Direito Canônico 938:

  • l. Habitualmente, a santíssima Eucaristia conserve-se apenas num único tabernáculo da igreja ou oratório.
  • 2. O tabernáculo, em que se conserva a santíssima Eucaristia, há-de situar-se nalguma parte da igreja ou oratório que seja insigne, visível, decorosamente adornada e apta para a oração.
  • 3. O tabernáculo, em que habitualmente se conserva a santíssima Eucaristia, seja inamovível, construído de matéria sólida não transparente e fechado de tal modo que se evite ao máximo o perigo de profanação.
  • 4. Por causa grave, é lícito conservar a santíssima Eucaristia, sobretudo durante a noite, noutro lugar mais seguro e que seja decoroso.
  • 5. Quem tiver o cuidado da igreja ou oratório providencie para que a chave do tabernáculo, em que se conserva a santíssima Eucaristia, seja guardada com toda a cautela. (Cân. 938)

 

Adoração ao Santíssimo Sacramento

OstensorioDesta forma, é comum entre os Católicos exercerem a Adoração ao Santíssimo Sacramento, onde a hóstia consagrada é comumentemente colocada em um receptáculo de vidro ornado com desenhos e formas de metal denominado ostensório. Dentro do ostensório a hóstia é colocada em exposição para que os fiéis possam adorar e ver o pão que se tornou carne, isto é o próprio corpo de Jesus.

Assim, as pessoas se dirigem as igrejas  e/ou capelas católicas para ficar por alguns momentos a frente do corpo eucarístico de Cristo, desenvolver sua oração e até mesmo a sua adoração particular e pessoal ao Cristo Eucarístico.

Sobre este gesto de adoração Santa Catarina de Sena (doutora da igreja) disse: “Quando não posso receber o Senhor na Eucaristia, vou a igreja, e lá fico olhando para Ele e isto me sacia. ”

Vale lembrar que, ainda que a presença real de Cristo, se dê através da Adoraçãoeucaristia; fato consumado e testemunhado através dos inúmeros relatos de milagres eucarísticos ao redor do mundo (ver tópico mais abaixo), Jesus age e atua na vida das pessoas de maneira impar, particular e pessoal e não está preso ao formato do pão e do vinho guardado nos sacrários.

Quando não se tem a exposição de “Jesus Sacramentado”, como alguns dizem, e comum a pratica da visita ao “Santíssimo”, que também é regulamentada pelo Código de Direito Canônico 937 — A não ser que obste uma razão grave, a igreja em que se conserva a santíssima Eucaristia esteja todos os dias, ao menos por algumas horas, aberta aos fiéis, para que eles possam consagrar algum tempo à oração diante do santíssimo Sacramento. (Cân. 937)

Santo Afonso Maria de Ligório, assim definiu o ato de adoração: “a devoção de adorar Jesus sacramentado é, depois dos sacramentos, a primeira de todas as devoções, a mais agradável a Deus e a mais útil para nós”

 

Tapete-de-Corpus-Christi-1Corpus Christi

É uma data especial na qual os católicos celebram o ‘Corpo de Cristo’, terminologia traduzida do latim Corpus Christi. É uma festa móvel celebrada na quinta-feira imediatamente após o Domingo da Santíssima Trindade; onde as igrejas, comunidades e capelas realizam procissões em que os fiéis saem as ruas, muitas vezes ornadas com enfeites de tapetes coloridos com símbolos cristãos e de exaltação a sagrada comunhão, assim os católicos veneram e adoram o Corpo de Cristo.

As procissões de Corpus Christi, são de uma beleza impar onde os tapetes montados no asfalto formam uma ‘passarela’ para Jesus passar e ser venerado. Dando-se assim, a honra devida a Santa Comunhão, que é o alimento da alma do fiel católico.

Leia: Corpus Christi: o dia do Corpo Eucarístico de Jesus

 

lanciano

O milagre Eucarístico de Lanciano aconteceu no ano 750 D.C.

Os milagres Eucarísticos

Os acontecimentos extraordinários junto ao corpo de Cristo, são os fatores mais importantes que validam a consistência do sacramento. São inúmeros os relatos que se tem registro ao longo da história da Igreja, em lugares e tempos distintos. Entre os mais variados relatos destacamos “os Milagres Eucarísticos” acontecidos em Lanciano, Roma, Bordeaux, Glotowo, entre tantos outros. Segundo os registros existem cerca de 140 milagres eucarísticos ocorridos e reconhecidos como autênticos pela Igreja e uma outra significativa quantidade que aguarda um juízo da Igreja.

Assim, os milagres eucarísticos são definidos quando se conclui racionalmente que o próprio Deus, único acima e fora da natureza, é a causa imediata e direta do efeito, sem intervenção, como normalmente, de causas segundas que chamamos de natureza”*

Os frutos da Santa Comunhão Eucarística

Sobre os frutos da eucaristia São João Crisóstomo, disse: “Com efeito, o que é o pão? É o corpo de Cristo. E em que se transformam aqueles que o recebem? No corpo de Cristo; não muitos corpos, mas um só corpo. De fato, tal como o pão é um só apesar de constituído por muitos grãos, e estes, embora não se vejam, todavia estão no pão, de tal modo que a sua diferença desapareceu devido à sua perfeita e recíproca fusão, assim também nós estamos unidos reciprocamente entre nós e, todos juntos, com Cristo”

Assim destacamos que ao receber a Santa Eucaristia:

  • Ficamos intimamente aderidos a Cristo Jesus,
  • A comunhão nos aparta do pecado,
  • Fortalece a caridade em nós,
  • A Eucaristia nos preserva de futuros pecados mortais, pois quanto mais participamos da vida de Cristo e mais progredimos em sua amizade,
  • Firma-nos em unidade com a igreja e com os irmãos,
  • A Eucaristia nos compromete a favor dos pobres e abrindo-nos a caridade.

Veja também:

Referencias:

  • Livros: Compêndio do Catecismo da Igreja Católica/Catolicismo para Leigos/ O milagre e os milagres eucarísticos – Pe. Gino Nasini
  • Sites: Wikipédia, Vatican