audience-868074_640Cabe a nós, que temos a graça de viver num país cuja liberdade religiosa nos permite professar nossa fé com dedicação, de vivermos mais atuante e mais firmes na oração, bem como, valorizar os valores cristãos e viver segundo esses valores.

Não dá pra ser cristão quando convém, em tudo devemos expressar nossa condição de cristãos, com firmeza no que é moralmente certo perante os olhos de nosso Senhor Jesus e com amor, que é o maior dos mandamentos e atende ao que Cristo nos pediu: “este é o meu mandamento: Amai-vos uns aos outros, como eu vos amo.” (João 15,12)

Ser cristão é ser um novo cristo nesta época em que vivemos.

Independente se esta carta seja mesma de São João Paulo II ela é atual não só para os jovens como para os adultos:

  • Precisamos de Santos sem véu ou batina.
  • Precisamos de Santos de calças jeans e tênis.
  • Precisamos de Santos que vão ao cinema, ouvem música e passeiam com os amigos.
  • Precisamos de Santos que coloquem Deus em primeiro lugar, mas que se “lascam” na faculdade.
  • Precisamos de Santos que tenham tempo todo dia para rezar e que saibam namorar na pureza e castidade, ou que consagrem sua castidade.
  • Precisamos de Santos modernos, Santos do século XXI com uma espiritualidade inserida em nosso tempo.
  • Precisamos de Santos comprometidos com os pobres e as necessárias mudanças sociais.
  • Precisamos de Santos que vivam no mundo, se santifiquem no mundo, que não tenham medo de viver no mundo.
  • Precisamos de Santos que bebam Coca-Cola e comam hot dog, que usem jeans, que sejam internautas, que escutem discman.
  • Precisamos de Santos que amem a Eucaristia e que não tenham vergonha de tomar um refrigerante ou comer pizza no fim-de-semana com os amigos.
  • Precisamos de Santos que gostem de cinema, de teatro, de música, de dança, de esporte.
  • Precisamos de Santos sociáveis, abertos, normais, amigos, alegres, companheiros.
  • Precisamos de Santos que estejam no mundo e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo mas que não sejam mundanos.

Pense nisso…

Ricardo Mari e equipe Mais de Deus

Leia também: