Venezuela05

Momento em que o jovem recebe os disparos

Nesta sexta-feria (23/06)  mais uma vez opositores ao governo ditatorial esquerdista de Nicolás Maduro, saíram as ruas; agora em protesto contra a morte de um jovem manifestante, morto à queima-roupa, durante protestos na estrada de Francisco Fajardo, em Altamira. Com mais essa morte, o número de mortos subiu para 75, em cerca de 3 meses de manifestações.

Ao longo desses 90 dias a República Bolivariana da Venezuela, não conseguiu ter uma semana livre de algum tipo de protesto, uns mais intensos como as grandes marchas e outros mais singelos com poucos manifestantes.

O protesto, desta sexta-feira, é um repudio pela morte do jovem de 22 anos, David Vallenilla, cujo assassinato se deu a queima roupa, em frente à base aérea de La Carlota, na estrada Francisco Fajardo, a principal via de Caracas, capital da Venezuela. Na foto é possível ver um oficial da Guarda Nacional Bolivariana apontando a arma para o manifestante.

A Venezuela vive uma crise tremenda de abastecimento e desemprego  que causa revolta em grande parte da população, os que defendem maduro o fazem por que vivem ancorado no sistema, mas também sabem que a situação não é boa.

Equipe Mais de Deus