Essa pergunta chegou até nós em tempos onde a igreja foi questionada sobre a ordenação sacerdotal das mulheres. Mas antes de tudo vamos recorrer ao dicionário e lembrarmos dos adjetivos referentes ao feminino e feminista:

 FEMININO: adj. Que se refere a mulher ou a ela é particular: intuição feminina. [Zoologia] Que se refere a fêmea; próprio de fêmea; que pode ser definido pela presença de ovário (nos animais); fêmeo. [Botânica] Diz-se da flor caracterizada por possuir apenas pistilo(s).[Biologia] Diz-se do gameta que se funde ao gameta masculino, durante o processo de fecundação, numa reprodução sexuada.

FEMINISMO: s.m. Doutrina cujos preceitos indicam e defendem a igualdade de direitos entre mulheres e homens. Movimento que combate a desigualdade de direitos entre mulheres e homens. [Por Extensão] Ideologia que defende a igualdade, em todos os aspectos (social, político, econômico), entre homens e mulheres. (Etm. do francês: féminisme)

Indo mais a fundo vemos que o movimento político, social ideológico e filosófico que prega o chamado direito equânime (igual e/ou equiparado) da mulher com o homem em todos as áreas, em linguagem atual podemos dizer que é o empoderamento feminino, independente do dito padrão patriarcal

A partir dessas observações, podemos dizer que não existe mal algum na mulher buscar ser mais respeitada, ser mais independente, exercer funções nas quais ela se sente bem e aprecia. Todavia, a partir do momento que o dito empoderamento visa suprir os erros cometidos pelos homens junto as mulheres com a ocupação do mesmo lugar de inversão de papeis, a busca perde o valor, pois começa perigosamente a realizar e/ou tomar para si as ações questionadas outrora.

Existem coisas que as mulheres poderiam e podem fazer muito bem no lugar do homem e vice-versa; no entanto, existem particularidades pertinentes ao longo dos anos aos sexos definidos na criação e no qual quando um assume em demasia uma atitude particular de outro a qualidade e a atividade descambeia para o erro quando não ao ridículo.

Sendo assim, é difícil de enxergar o possível feminismo cristão, mas é aceitavelmente viável e honroso vermos cada vez mais as mulheres assumirem papeis importantes e dignos na sociedade. Todavia, essa busca não deve ser levada como uma obrigatoriedade que força e desrespeita a identidade e vontade de cada mulher.

Sabemos que a bíblia é uma fonte ímpar de ações coerentes inspiradas pelo Espirito Santo que orienta a vida de ambos os sexos. Quem quiser buscar verdadeiramente a igualdade sensata das ações deve acima de tudo buscar conhecer qual é a vontade do Senhor para suas vidas através da oração e da leitura sincera das Sagradas Escrituras.

“Não seja o vosso adorno o que aparece externamente: cabelos trançados, ornamentos de ouro, vestidos elegantes; mas tende aquele ornato interior e oculto do coração, a pureza incorruptível de um espírito suave e pacífico, o que é tão precioso aos olhos de Deus”. I Pedro 3, 3-4

Agora quanto a ordenação sacerdotal de mulheres na Igreja Católica Romana é um assunto delicado que muito dificilmente a igreja irá se pronunciar a favor. Para mais detalhes você pode ver nossa matéria: “Igreja Católica não deve ordenar mulheres padres: “assim permanece… as coisas vão nesta direção”. Isso é machismo? Para muitas mulheres sim, mas é uma atividade milenar indicada para ser feita atreves dos homens tanto por Jesus como pelos apóstolos.

Fontes: Dicio – dicionário on line

Equipe Mais de Deus