Hoje, 12 de outubro, dia de Nossa Senhora Aparecida e Dia das Crianças, surgiu uma questão intrigante nas redes sociais:

Não seria muita hipocrisia fazer festa para as crianças e depois votar e defender quem prega o aborto?

A pergunta gerou um imenso questionamento em muitos meios até mesmo porque, existe uma grande quantidade de pessoas que se dizem cristãs, mas estão andando de braços dados com ideologias fascistas e comunistas; ideologias que pregam o fim de cristianismo, mas por estarem falando de minorias são bem recebidas.

Há alguns dias atrás nós aqui neste site, já havíamos questionado se “um católico (pode) votar em um candidato que defende o aborto?”

Mas hoje, estamos abordando a incoerência dentro da igreja nos grupos de catequese; principalmente envolvendo os catequistas que fazem festa para as crianças, dão aula de catecismo, e comemoram o dia das crianças, mas votam em candidatos que se dizem ATEUS e que APOIAM O ABORTO.

Se eu estivesse na Rede globo perguntaria para o Arnaldo: Pode isso Arnaldo?

Ops, estamos no site Mais de Deus então perguntamos: Pode isso Papa Francisco?

E não é que o Papa  Francisco deu a resposta:

“Não é justo. Não podemos eliminar um ser humano, mesmo que pequeno, para resolver um problema… Interromper uma gravidez é como eliminar alguém. É justo eliminar uma vida humana para resolver um problema?… É como contratar um matador de aluguel para resolver um problema”, insistiu durante sua homilia do dia 10/10 na praça de São Pedro.

Assim podemos dizer que é uma vergonha, defender quem defende a morte de um inocente que nem ao menos tem o direito e a possibilidade de se defender e que foi chamado a vida por conta do ciclo natural da vida.

Onde talvez os fatores sociais não estivessem em acordo com a vontade do casal, mas o questionamento do Papa ao Perguntar se “É justo eliminar uma vida humana para resolver um problema?” Responde tudo.

Tá hora de acordar e fazer o certo, se você é catequista e cuida de crianças e apoia o aborto está no lugar errado, porque ficar gastando dinheiro ou esforço com festinha para crianças que poderiam estar mortas?

Votar em quem apoia o aborto ou apoia-lo é o mesmo que achar errado existirem crianças.

Precisamos nos converter, perguntar sempre: No meu lugar o que Jesus faria?

Mas esse questionamento não serve só para catequista não: e para agente de pastoral, padre, bispo, leigo, ministros, membros de movimentos e simples fiel que muitas vezes convive e apoia movimentos e partidos que tem em seus estatutos a descriminalização do aborto.

Equipe Mais de Deus

Leia também: