^Voltar ao Topo
foto1 foto2 foto3 foto4 foto5

Mais de Deus
soumaisdedeus.com.br

Projeto Mais de Deus

Encontro de Oração e Louvor Mais de Deus

Ministério de Música

Eventos

OUT
25

25/10/2014 7:50 pm - 9:20 pm
Encontro Semanal de Oração.

NOV
1

01/11/2014 7:50 pm - 9:20 pm
Encontro Semanal de Oração.

NOV
8

08/11/2014 7:50 pm - 9:20 pm
Encontro Semanal de Oração.

Contagem Regressiva

Aguarde a execução do código em JavaScript

Calendário

loader

Visitantes Online

Temos 10 visitantes e Nenhum membro online

Siga-nos

EVANGELII GAUDIUM

 O Papa na Evangelii Gaudium: A homilia não pode ser um espetáculo de divertimento

 

 

Na primeira exortação apostólica do seu pontificado intitulada "Evangelii Gaudium", o Papa Francisco ressaltou que "a homilia não pode ser um espetáculo de divertimento, não corresponde à lógica dos recursos mediáticos, mas deve dar fervor e significado à celebração".

Pela importância do tema, o Santo Padre dedica uma seção deste documento a explicar como deve ser a homilia: "é um gênero peculiar, já que se trata de uma pregação no quadro duma celebração litúrgica; por conseguinte, deve ser breve e evitar que se pareça com uma conferência ou uma lição".

No numeral 138, o Papa afirma que "o pregador pode até ser capaz de manter vivo o interesse das pessoas por uma hora, mas assim a sua palavra torna-se mais importante que a celebração da fé. Se a homilia se prolonga demasiado, lesa duas características da celebração litúrgica: a harmonia entre as suas partes e o seu ritmo.".

"Quando a pregação se realiza no contexto da Liturgia, incorpora-se como parte da oferenda que se entrega ao Pai e como mediação da graça que Cristo derrama na celebração. Este mesmo contexto exige que a pregação oriente a assembleia, e também o pregador, para uma comunhão com Cristo na Eucaristia, que transforme a vida. Isto requer que a palavra do pregador não ocupe um lugar excessivo, para que o Senhor brilhe mais que o ministro".

O Papa Francisco assegura também que "a homilia é o ponto de comparação para avaliar a proximidade e a capacidade de encontro de um Pastor com o seu povo. De fato, sabemos que os fiéis lhe dão muita importância; e, muitas vezes, tanto eles como os próprios ministros ordenados sofrem: uns a ouvir e os outros a pregar. É triste que assim seja. A homilia pode ser, realmente, uma experiência intensa e feliz do Espírito, um consolador encontro com a Palavra, uma fonte constante de renovação e crescimento".

Depois de colocar como exemplo a pregação de São Paulo, o Papa assinala que "a proclamação litúrgica da Palavra de Deus, principalmente no contexto da assembleia eucarística, não é tanto um momento de meditação e de catequese, como sobretudo o diálogo de Deus com o seu povo, no qual se proclamam as maravilhas da salvação e se propõem continuamente as exigências da Aliança".

"Reveste-se de um valor especial a homilia, derivado do seu contexto eucarístico, que supera toda a catequese por ser o momento mais alto do diálogo entre Deus e o seu povo, antes da comunhão sacramental. A homilia é um retomar este diálogo que já está estabelecido entre o Senhor e o seu povo".

Aquele que prega, prossegue, "deve conhecer o coração da sua comunidade para identificar onde está vivo e ardente o desejo de Deus e também onde é que este diálogo de amor foi sufocado ou não pôde dar fruto".

O Papa alerta logo que "a pregação puramente moralista ou doutrinadora e também a que se transforma numa lição de exegese reduzem esta comunicação entre os corações que se verifica na homilia e que deve ter um caráter quase sacramental: ‘A fé surge da pregação, e a pregação surge pela palavra de Cristo’".

"Na homilia, a verdade anda de mãos dadas com a beleza e o bem. Não se trata de verdades abstratas ou de silogismos frios, porque se comunica também a beleza das imagens que o Senhor utilizava para incentivar a prática do bem. A memória do povo fiel, como a de Maria, deve ficar transbordante das maravilhas de Deus. O seu coração, esperançado na prática alegre e possível do amor que lhe foi anunciado, sente que toda a palavra na Escritura, antes de ser exigência, é dom".

Para o Santo Padre, "falar com o coração implica mantê-lo não só ardente, mas também iluminado pela integridade da Revelação e pelo caminho que essa Palavra percorreu no coração da Igreja e do nosso povo fiel ao longo da sua história".

A identidade cristã, precisa, "que é aquele abraço batismal que o Pai nos deu em pequeninos, faz-nos anelar, como filhos pródigos – e prediletos em Maria –, pelo outro abraço, o do Pai misericordioso que nos espera na glória. Fazer com que o nosso povo se sinta, de certo modo, no meio destes dois abraços é a tarefa difícil, mas bela, de quem prega o Evangelho".

FONTE: www.acidigital.com

Ministério de Música

Catecumenato Mais de Deus

Canal de Vídeos

Comunidade Nossa Senhora das Graças

Álbum de fotos e imagens

www.facebook.com/maisdedeusoficial, Encontro de Louvor e Oração!