Jesus é Deus?

Sim, a bíblia é clara ao afirmar na 1ª Carta de João 5, 20.: “Sabemos que o filho de Deus veio e nos deu entendimento para conhecermos o Verdadeiro. E estamos no verdadeiro, nós que estamos em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna”. Assim podemos afirmar que “O Filho de Deus, fazendo-se homem, não deixou de ser Deus”. (CSPX – Cp IV 85), onde “o Filho de Deus encarnado, isto é, Jesus Cristo, é Deus e homem ao mesmo tempo, perfeito Deus e perfeito homem” (CSPX – Cp IV 86), com “duas naturezas, a divina e a humana”. (CSPX CPIX 87)

Existem textos bíblicos que falam que Jesus é Deus?

Sim, existem vários textos que atestam a divindade de Cristo, a começar por: Isaías 7, 14c.: “…uma virgem conceberá e dará a luz um filho, e o chamará ‘Deus Conosco’. (que significa Emanuel)

Segundo depois: Isaías 9, 6.: “Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado; a soberania repousa sobre seus ombros, e ele se chama: Conselheiro Admirável, Deus forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz”. (“A soberania repousa sobre seus ombros” – significa a realeza e a grandeza que manifesta em Jesus, além de um simples humano)

Mateus 1, 23.: Cita o livro de Isaías 7, 14

Evangelho de São João 1, 1-3.: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio junto de Deus.  Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito”. (o texto expõe claramente ser de Deus o verbo que se encarnou, onde participou de toda a criação)

Evangelho de São João 1, 15c.: “O que vem depois de mim é maior do que eu, porque existia antes de mim”. (Aqui vemos que Jesus já existia antes)

Evangelho de São João 1, 18.: “Ninguém jamais viu Deus. O filho único, o filho único que está no seio do Pai, foi quem o revelou”. (está no seio do Pai – determina o conceito de ‘Deus Unigênito” de Jesus)

Batismo de Cristo 1481-1483. Por Perugino, na Capela Sistina, no Vaticano

Batismo de Cristo 1481-1483. Por Perugino, na Capela Sistina, no Vaticano

Evangelho de São João 1, 29-30.: “No dia seguinte, João viu Jesus que vinha a ele e disse: ‘Eis o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. É este de quem eu disse: Depois de mim virá um homem, que me é superior porque existe antes de mim”. (Mais uma vez vemos um testemunho de que Jesus já existia )

Evangelho de São João 1, 47-49.: Jesus vê Natanael, que lhe vem ao encontro, e diz: Eis um verdadeiro israelita, no qual não há falsidade. Natanael pergunta-lhe: Donde me conheces? Respondeu Jesus: Antes que Filipe te chamasse, eu te vi quando estavas debaixo da figueira. Falou-lhe Natanael: Mestre, tu és o Filho de Deus, tu és o rei de Israel”. (Natanael se assusta ao ver que Jesus sabia de algo que era um segredo)

Evangelho de São João 5, 17-18.: Mas ele lhes disse: Meu Pai continua agindo até agora, e eu ajo também. Por esta razão os judeus, com maior ardor, procuravam tirar-lhe a vida, porque não somente violava o repouso do sábado, mas afirmava ainda que Deus era seu Pai e se fazia igual a Deus”. (Aqui vemos que os judeus compreendiam que Jesus além de se intitula filho de Deus deixava transparecer uma condição de igualdade ao Pai)

Evangelho de São João 5, 26.: “Pois como o Pai tem a vida em si mesmo, assim também deu ao Filho o ter a vida em si mesmo” (neste contexto explicito de divindade, Jesus revela que ele detinha o poder da vida sobre si, algo que estava além de uma simples criatura)

Sabemos pois que Jesus Cristo é verdadeiro Deus e acreditamos por ser a verdade assim testificada:

  • 1 – Pelo testemunho do Padre Eterno, quando disse: Este é O meu Filho muito amado, no qual tenho posto todas as minhas complacências: ouvi-O;
  • 2 – Pela afirmação do próprio Jesus Cristo, confirmada com os mais estupendos milagres;
  • 3 – Pela doutrina dos Apóstolos;
  • 4 – Pela tradição constante da Igreja Católica. (Catecismo de São Pio X, capitulo 3º,  80)

Ver também:

Referências:

Livros: Bíblia Católica, Catecismo da Igreja Católica, Catecismo de São Pio X e Youcat.