Papa Francisco durante seu discurso

Em um encontro inter-religioso de jovens, o Papa Francisco disse com grande ênfase: “O que há de mais importante para um pastor do que encontrar-se com os seus jovens? Vocês são importantes! Precisam saber disso, precisam acreditar nisso: vocês são importantes! Mas com humildade porque não são apenas o futuro de Moçambique ou da Igreja e da humanidade; vocês são o presente de Moçambique! Com tudo o que são e fazem, já estão contribuindo para ele com o melhor que hoje podem dar.” 

Com a finalidade de unir o diferente em prol de uma nação ainda machucada pelas feridas da guerra civil, o Papa escolheu realizar um encontro inter-religioso, a fim de, mostrar a todos que a paz se faz estendendo a mão a quem é diferente.

Reunindo autoridades do pais na capital Maputo, o encontro com os jovens foi um grande chamado de Francisco para o convívio fraterno: “Grande é o poder da Mão estendida, da amizade”, disse o Papa; pedindo que os jovens não deixarem de olhar para outros jovens que estão perto e que passam por dificuldades.

As pessoas precisam de “uma mão amiga, uma mão estendida”, e nós precisamos estar aptos a estender a mão a quem precisa, convocando todos os presentes a estender suas mãos. “Esse é o Gesto da mão estendida!”

E completou: “procurai crescer na amizade também com aqueles que pensam diferente

A solidariedade é o melhor gesto para transformar a história”.

Em um momento o Papa muito alegre e a vontade com os jovens, disse: “Não deixeis que vos roubem a vossa alegria, não deixeis de cantar e expressar de acordo dom todo o bem que aprendestes de vossas tradições. Quantas promessas de felicidade vazias que acabam por mutilar vidas. Certamente conheceis amigos e até mesmo vocês que em momentos difíceis dolorosos, onde parece que tudo cai por terra ficam prostrados na resignação. É preciso estar atento, jamais dar-se por vencido.”

Francisco lembrou também que a nação passou por um grande problema com os dois ciclones que atingiram o pais e, lembrou que esse é o motivo por que temos que cuidar da nossa casa, das matas e das florestas. Disse também que temos um grande desafio que é o de proteger a casa comum, o lugar aonde vivemos.

E finalizou dizendo:

“É o amor do Senhor que se entende mais de levantamentos que de quedas, mais de reconciliação que de proibições, mais de dar nova oportunidade que de condenar, mais de futuro que de passado» (Ibid., 116). Eu sei que vocês acreditam nesse amor que torna possível a reconciliação.”

Equipe Mais de Deus

Fonte: Vatican News