Ações do grupo nas ruas do Brasil

O grupo feminista que se dizia católico e que assim, se intitulava “Católicas pelo direito de decidir”, foi proibida, desde a última terça-feira (27/10), por determinação da 2ª Câmara de Direito Privado de São Paulo, de usar o termo “Católicas” no nome.

O grupo que não tinha reconhecimento da igreja e era criticado pelas lideranças católicas por usar o termo “católicas”, está agora definitivamente proibido de assim se intitular, já que a justiça concordou que a finalidade da ONG “revela incompatibilidade com os valores adotados pela Igreja Católica”.

Além disso, O desembargador José Carlos Ferreira Alves, decretou que o grupo tem 15 dias para retirar de seus documentos e de tudo o que o envolve o termo católica, sob pena de uma multa diária de R$ 1.000,00.

NÃO SÃO CATOLICAS

A ONG que se intitulava “Católicas pelo Direito de Decidir” não pode ser considerada católica porque se posiciona explicitamente contra a doutrina da Igreja em inúmeros pontos, a começar pelo aborto e suas ações que não são compatíveis com a verdadeira fé católica.

Nesses anos em que atuou usando o nome católica causou muita confusão no meio da igreja chegando até mesmo a promover palestras em algumas comunidades da igreja, pelo Brasil afora.

Se não bastasse isso, a entidade abortista recebeu uma injeção de recursos do governo federal que destinou recursos no ano de 2018

UMA FILIAL ESTRANGEIRA

A ONG brasileira, se posiciona como uma filial da associação norte-americana “Catholics for a Free Choice”, surgido na década de 1970. Organização que também nos EUA foram declaradas não católicas por bispos e líderes religiosos locais.

Inclusive teve suas ações ligadas a inúmeras campanhas de extermínio de bebes, abortos e venda de órgãos.

A ORIGEM

A Organização demoníaca que agora terá que mudar de nome “Católicas pelo Direito de Decidir”, foi fundada no Brasil em 1993, em São Paulo, e atua juntamente com ONG’s feministas e abortistas.

O início, no entanto, se deu nos Estados Unidos em 1970, com a lei abortista do Estado de Nova Iorque, que abriu as portas para que outros estados americanos aderissem no ano de 1973. É nessa época que nasce também a CFFC “Catholics For a Free Choice”, proveniente de uma possível dissidência da associação pró-aborto NOW (National Organization for Women).

Inclusive atuando juntamente com a International Planned Pareenthood Federation (Federação Internacional de Planejamento Familiar), também chamada de “multinacional da morte”, que possui a maior rede de clinicas de aborto da América do Norte. Com sede em Londres e filiais em mais de 180 países.

Equipe Mais de Deus

Leia também: