004---Lanciano-2O milagre Eucarístico de Lanciano, aconteceu no ano de 750, na Itália, na cidade do mesmo nome, e é um dos mais ou se não o mais famoso e conhecido Milagre Eucarístico que se tem notícia.

Ele aconteceu no Século VII, quando ocorreu uma extraordinária transformação da hóstia em carne humana e do vinho em sangue humano, durante uma celebração litúrgica católica, sendo reconhecido como milagre pela Igreja Católica Apostólica Romana.

Na oportunidade, um monge que vivia no mosteiro de São Legoziano e Domiciano, duvidou em seu coração que na hóstia consagrada Jesus estaria realmente presente na Eucaristia, bem como, que o cálice seria realmente o sangue do Senhor. Foi aí que após a consagração o monge e toda a igreja presente viram a hóstia no momento da consagração transformar-se em carne e o vinho em sangue.

Assim, passados mais de 1250 anos, a igreja que passou pelos cuidados dos basilianos, beneditinos e franciscanos que, descontados os 150 anos que ficaram ausentes, estão la desde então. A hóstia conserva até hoje uma coloração ligeiramente escura, mas que apresenta uma rósea se iluminada pelo lado oposto, contendo ainda uma aparência fibrosa. Já o sangue possui uma cor terrosa, entre amarelo e o ocre, estando ainda, coagulado em cinco fragmentos de formas e tamanhos diferentes.

Inicialmente essas relíquias eucarísticas foram conservadas num tabernáculo de marfim e, a partir de 1713, até os dias atuais, quando as hóstias passaram a ser guardadas num ostensório de prata, e o sangue, em um cálice de cristal.

Reconhecimento cientifico

004---Lanciano-3A igreja reconheceu o milagre eucarístico de Lanciano em 1574. Mas em novembro de 1970, os Frades Menores Conventuais, submeteram a relíquia eucarística a análise científica atreves da equipe do Dr. Odoardo Linoli, chefe de serviço dos Hospitais Reunidos de Arezzo e Livre Docente de Anatomia e de Histologia Patológica e de Química e Microscopia Clínica e também ao professor Ruggero Bertelli, anatomista e professor da Universidade de Siena.

Após uma série de análises e constatações, o parecer foi publicado em “Quaderni Sclavo di diagnostica clínica e di laboratório”, 1971, fasc. 3, Grafiche Meini, Siena, que afirmou tratar-se de um milagre comprovado e inexplicável.

Dessa forma, o documento expressa a seguinte constatação:

  • A carne é carne verdadeira.
  • O sangue é sangue verdadeiro.
  • A carne seria do tecido muscular do coração (contém, em seção, o miocárdio, endocárdio, o nervo vago e, no considerável espesso do miocárdio, o ventrículo cardíaco esquerdo).
  • A carne e o sangue seriam do mesmo tipo sanguíneo (AB) e pertencem à espécie humana.
  • No sangue foram encontradas, além das proteínas normais, os seguintes minerais: cloreto, fósforo, magnésio, potássio, sódio e cálcio. As proteínas observadas no sangue teriam sido encontradas normalmente fracionadas em porcentagem a respeito da situação seroproteínica do sangue vivo normal. Ou, seja, é sangue de uma pessoa viva.
  • A conservação da carne e do sangue, deixados em estado natural por doze séculos e expostos à ação de agentes físicos, atmosféricos e biológicos constituiria um fenômeno extraordinário.

 

Curiosidades pertinentes:

  • Constatou-se que os cinco fragmentos, ao serem pesados têm exatamente o mesmo peso, não importa a combinação com que se pese. Por exemplo, tanto faz pesar um, dois ou todos fragmentos juntos, eles têm o mesmo peso.
  • Verificou-se que o sangue “AB” é o tipo de sangue encontrado no Santo Sudário. Este tipo de sangue é muito comum no povo Judeu, em Israel.

Equipe Mais de Deus

Referencias:

  • Livros: O milagre e os Milagres Eucarísticos
  • Sites: The real presence

Veja também: