001---Scete-BUm dos primeiros milagres Eucarísticos da história aconteceu entre os séculos 3 e 4 da era cristã e faz parte da coletânea de apotegmas dos Padres do Deserto que viviam no Egito como eremitas para seguir o exemplo de Santo Antônio Abade.

Na oportunidade, um monge de Scete era muito trabalhador, mas rude em matéria de fé. Por pura ignorância ou dúvida, se equivocava e frequentemente dizia: “o pão que comemos não é realmente o Corpo de Cristo, mas um símbolo. ”

Dois padres mais velhos que o ouviram falar, sabendo que ele era um homem piedoso e de bom coração, pensaram que dizia isso sem malícia e por ignorância, e decidiram falar com ele: “Padre, ouvimos dizer que uma pessoa diz coisas contrárias à fé, diz que o pão que recebemos não é realmente o Corpo de Cristo, mas é um símbolo. ” O monge lhes disse: “Sou eu quem o disse! ” Então os anciãos começaram a exortá-lo: “Tu não deves dizer isto, mas naquilo que a Igreja Católica transmite. Nós acreditamos que este pão é o Corpo de Cristo e que este Cálice é o Sangue de Cristo e não um símbolo. ”  Mas o monge respondeu: “se não acontece nada que me convença do contrário, não mudo de ideia. ”

Os dois padres anciãos lhe disseram: “Durante toda a semana rezaremos a Deus sobre este Mistério e acreditamos que Ele o desvelará. (…)

Jesus se mostra a eles

001---SceteNo domingo seguinte, os três foram à igreja e se puseram num lugar à parte, o monge incrédulo estava sentado no meio dos outros dois. Os olhos deles se abriram quando o pão para o Santo Sacrifício da Missa foi colocado sobre o Santo Altar e viram que no lugar dele havia um menino. Somente os três monges tiveram essa visão; quando o sacerdote estava para partir o pão, eis que desceu do céu um anjo do Senhor com uma espada e sacrificou o menino e versou o seu sangue no cálice e quando o sacerdote partiu pão em pequenos pedaços, o anjo fez o mesmo com a criança. No momento em que eles se aproximaram para receber a comunhão, o monge incrédulo recebeu carne ensanguentada.

Diante daquela visão, ele aterrorizado gritou: “Creio, ó Senhor, que o pão é o teu Corpo e o Cálice o teu Sangue! ”  Imediatamente a carne que estava nas suas mãos tomou as aparências do pão, conforme o Mistério e ele comungou dando graças a Deus.

Equipe Mais de Deus

Referencias:

  • Livros:
  • Sites: The real presence

Veja também: