man-845847_640Inúmeras vezes já ouvimos um celebre bordão: “Faça o que eu mando, não faça o que eu faço”!

A bem da verdade, vemos todos os dias desmandos e atitudes infelizes por parte dos homens, atitudes essas que são contrarias a palavra de Deus como mentiras e falsidades. No entanto, quando essa frase é expressada por um não cristão nada tem de novo e se configura como normal; todavia, quando um cristão a expressa ela toma ares de afronta e torna-se motivo de escândalo, pelo qual os homens condenam tal atitude.

Qualquer deslize de um cristão é condenado veemente pelo mundo.

Muitas vezes o mundo fica na espreita por encontrar deslizes dos filhos de Deus, tal como faziam os sacerdotes hebreus com Jesus. É por isso que Pedro, inspirado pelo Espírito Santo, escreveu em 1 Pedro 2, 12: “Comportai-vos nobremente entre os pagãos”. Essa exortação de São Pedro é clara para que nós cristãos não venhamos a ser como túmulos caiados onde “por fora parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos, de cadáveres e de toda espécie de podridão”. (Evangelho de São Mateus 23, 27)

Estamos vivendo num mundo cheio de dificuldades onde os filhos das trevas usam de toda esperteza para se dar bem. Sendo assim, que o nosso agir seja a mais pura expressão de uma vida que está em profundo processo de conversão. Sem o medo de errar, pois somos humanos, e é bem provável que volta e meia nos deparemos com alguma atitude parecida com a que Paulo expressou em sua carta aos Romanos 7, 14c e 19-20: “…mas eu sou carnal, vendido ao pecado”… “Não faço o bem que quereria, mas o mal que não quero”.

Que isso não seja a desculpa para não lutar e sim o conforto para sabermos que podemos ir além; comportando-se “como homens livres, e não a maneira dos que tomam a liberdade como véu par encobrir a malicia, mas vivendo como servos de Deus”. 1 Pedro 2, 16

Que lutemos com todas as nossas forças para que o Senhor nos encontre “irrepreensível para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”! (1º Tessalonicenses 5, 23)

Ricardo Mari – Equipe Mais de Deus