god-1154564_640Todos os anos, desde que começamos a nos entender por gente e fazer planos para o ano novo, sem dúvida alguma, o Natal exerce grande influência sobre nós cristãos.

Sendo o Natal o grande impulsionador dessas metas que ansiamos.

Nos dias que antecedem o Natal, no próprio dia, e nos dias posteriores a natividade de Jesus, é comum traçarmos planos pessoais de conquistas e também de mudança de vida; talvez pelo fato, de que data exerce uma influência boa sobre nós que acreditamos que o salvador veio ao mundo para dar uma nova chance a cada um de nós que ficamos mais sensíveis e propenso a ajudar o próximo.

É comum no Natal abrirmo-nos aos sentimentos de paz, amor, alegria, esperança e fé; sentimentos esses que despertam em cada um de nós a vontade de ajudar e fazer o bem ao nosso próximo.

Inúmeras são as pessoas que, a partir do Natal se propõem a fazer mais coisas boas por seus semelhantes:

  • Ser mais generoso e ajudar o necessitado,
  • Tornar-se uma pessoa mais caridosa, se prontificando a fazer uma doação a uma obra de caridade ou doar brinquedos as crianças desamparadas, saindo até mesmo de Papai ou Mamãe Noel.
  • Mais prestativo para com a família nos afazeres diários,
  • Ser mais família, se preparando para visitar um parente que a muito tempo nem se tem lembrança,
  • Ser mais solicito as necessidades do outro, se prontificando a visitar um asilo ou orfanato,

Entre outras coisas como perdoar as pessoas, estender a mão ao necessitado, dar carona, prestar ajuda voluntaria quer seja em uma organização caritativa ou até mesmo em uma pastoral ou movimento da igreja.

No entanto, passando o natal muitas dessas aspirações vão se perdendo e desaparecendo ao longo dos dias de nossas prioridades propostas, até que por fim, morrem dentro de nós.

E chegamos ao ponto de até matarmos e/ou aniquilarmos o espirito do Natal dentro de nós e daí, somos então engolidos pelo secularismo vigente no mundo atual.

Se queremos fazer a diferença, se queremos implementar essas mudanças em nossas vidas, precisamos estar determinados a manter o espírito do Natal vivo em cada um de nós; o que significa trazer Cristo verdadeiramente vivo e presente em nossos corações, pois quando Cristo é o sentido de nossa existência tudo ganha um novo vigor.

…quem diz que permanece nele deve também proceder como ele procedeu” (1 João 2, 6)

Talvez seja o caso de afixar em algum lugar da casa ou do quarto o seu proposito de vida cristã para o novo tempo que se inicia na sua vida. Pense nisso e não permita que o seu novo proposito de vida seja sufocado ou morra dentro de você e da sua família!

Ricardo Mari e equipe Mais de Deus

Leia também: