Se sobre a infância de Jesus a bíblia não fala muito, sobre a adolescência de Jesus ela fala menos ainda; destacando um trecho de 12 versículos. Onde expressa no Evangelho de São Lucas 2, 40; que “o menino ia crescendo e se fortificava: estava cheio de sabedoria, e a graça de Deus repousava nele”. Mostrando ser Jesus um garoto saudável, sábio e agraciado por Deus, o que nos permite dizer que possuía muitos dons e aptidões.

A bíblia deixa claro através de alguns fatos o quanto os pais de Jesus eram observadores dos costumes judaicos: “seus pais iam todos os anos a Jerusalém para a festa da Páscoa”. (S. Lucas 2, 41.) Sendo assim, um fato muito marcante se dá aos 12 anos, quando da perda e o encontro de Jesus no templo com os doutores da lei (5º Mistério Gozoso do Rosário)

jesus-no-templo-nicolas

“Jesus no templo”, Nicolas Mignard (1606-1668)

“Tendo ele atingido doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume da festa. Acabados os dias da festa, quando voltavam, ficou o menino Jesus em Jerusalém, sem que os seus pais o percebessem. Pensando que ele estivesse com os seus companheiros de comitiva, andaram caminho de um dia e o buscaram entre os parentes e conhecidos. Mas não o encontrando, voltaram a Jerusalém, à procura dele.  Três dias depois o acharam no templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os. Todos os que o ouviam estavam maravilhados da sabedoria de suas respostas. Quando eles o viram, ficaram admirados. E sua mãe disse-lhe: Meu filho, que nos fizeste?! Eis que teu pai e eu andávamos à tua procura, cheios de aflição. Respondeu-lhes ele: Por que me procuráveis? Não sabíeis que devo ocupar-me das coisas de meu Pai? ” (S. Lucas 2, 42-49)

Esse acontecido mostra que Jesus também guardava as tradições judaicas, tendo este sido este relato bíblico descrito por inúmeros estudiosos como o do Bar Mitzvá (momento no qual o jovem judeu é inserido como um membro maduro da comunidade tornando-se responsável perante a lei e momento no qual ele faz pela primeira vez a leitura da Torá)

Outro fato importante é que mesmo sendo responsável por seus atos Jesus era obediente aos seus pais conforme relata a sequência do evangelho de São Lucas 2, 51: “Em seguida, desceu com eles a Nazaré…”

Após esse momento no qual Jesus volta a Nazaré a bíblia não descreve um acontecimento relevante apenas permite no entender algumas coisas por meio de complementos do texto.

A Bíblia menciona que “Jesus crescia em estatura, em sabedoria e graça, diante de Deus e dos homens”. (S. Lucas 2, 52) e ainda contempla:

  • Jesus era obediente a José e Maria: “…e lhes era submisso”. (São Lucas 2, 51b)
  • Viveu muito tempo em Nazaré: “…a Nazaré, onde se havia criado”. (São Lucas 4, 16)
  • Esteve em Nazaré até o início do seu ministério: “…veio Jesus de Nazaré, da Galileia, e foi batizado por João no Jordão”. (1º Mistério Luminoso do Rosário) (São Marcos 1, 9)
  • Saiu de Nazaré para morar em Cafarnaum: “Deixando a cidade de Nazaré, foi habitar em Cafarnaum, a margem do lago, nos confins de Zabulon e Nefitali”. (São Mateus 4,13.)
  • Era reconhecido como um nazareno: “Este homem também estava com Jesus de Nazaré”. (São Mateus 26, 71 – na negação de Pedro); “que tens tu conosco, Jesus de Nazaré” (São Marcos 1, 24 – pelos demônios) “sabendo que era Jesus de Nazaré, começou a gritar” (São Marcos 10, 47 – pelo cego Bartimeu); “É Jesus de Nazaré que passa”. (São Lucas 18, 37 – por um cego em Jericó) e “Achamos aquele de quem Moisés escreveu na lei e que os profetas anunciaram: é Jesus de Nazaré, filho de José”. (São João 1, 45 – Filipe diz a Natanael).
  • Nazaré era considerada a sua terra: “Foi para a sua cidade e ensinava na sinagoga”. (São Mateus 13, 54.)
  • As pessoas sabiam que ele era o filho do carpinteiro: “Não é este o filho do carpinteiro?” (São Mateus 13, 55)
  • Jesus tinha uma profissão: “Não é ele o carpinteiro, filho de Maria” (São Marcos 6, 3)

Fonte:

  • Livros: Bíblia Católica
  • Fotos: ArtBible

Veja também: