Ascensao-de-Cristo---Garofolo-1598

Ascensão de Cristo – Garofolo 1598

A ascensão de Jesus foi um acontecimento pós ressurreição que encerrou a missão de Jesus na Terra e está narrada no livro de Atos dos Apóstolos 1, 9-11:

“Dizendo isso, elevou-se da (terra) à vista deles e uma nuvem o ocultou aos seus olhos. Enquanto o acompanhavam com seus olhares, vendo-o afastar-se para o céu, eis que lhes apareceram dois homens vestidos de branco, que lhes disseram: “Homens da Galileia, por que ficais aí a olhar para o céu? Esse Jesus que acaba de vos ser arrebatado para o céu voltará do mesmo modo que o vistes subir para o céu”.”

Evangelho de São Lucas 24, 46 – 53

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: ‘Assim está escrito: O Cristo sofrerá e ressuscitará dos mortos ao terceiro dia e no seu nome, serão anunciados a conversão e o perdão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. Vós sereis testemunhas de tudo isso.  Eu enviarei sobre vós aquele que meu Pai prometeu. Por isso, permanecei na cidade, até que sejais revestidos da força do alto’. Então Jesus levou-os para fora, até perto de Betânia. Ali ergueu as mãos e abençoou-os. Enquanto os abençoava, afastou-se deles e foi levado para o céu.  Eles o adoraram. Em seguida voltaram para Jerusalém, com grande alegria.  E estavam sempre no Templo, bendizendo a Deus.

Evangelho de São Marcos 16, 19:

“Depois que o Senhor Jesus lhes falou, foi levado ao céu e está sentado à direita de Deus.”

 

Ao se elevar em corpo físico na presença dos apóstolos no quadragésimo dia depois da ressurreição encerra se o Mistério da Encarnação e inicia se ao Mistério da Parusia, quando se informa que a segunda vinda de Cristo ocorrera como na ascensão.

 

Uma solenidade católica

A igreja celebra a festividade da ascensão do Senhor sempre no 7º Domingo da Páscoa, ou nos 40 dias após a pascoa e por normalmente cair numa quinta-feira celebra-se no domingo seguinte. A Ascensão de Cristo é uma solenidade enraizada na igreja por meio da profissão de fé, onde se diz “subiu aos céus e está sentado à direita do Pai”. Estando expressa no Credo dos Apóstolos e também no Credo Niceno-constantinopolitano.

 

É por meio dessa festividade que somos convidados a olhar além do horizonte, além da vida e vislumbrar o futuro da Jerusalém celeste. Sobre isso, a bíblia afirma em Filipenses 3, 20 que “Nós, porém, somos cidadãos dos céus. É de lá que ansiosamente esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo,” e Assim até que o Cristo retorne de forma gloriosa devemos nos ater a exortação de Paulo na carta aos Colossenses 3, 1 “Vós que ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas do alto, onde está Cristo”.

A ascensão é também considerada como um dos cinco grandes marcos da narrativa humana de Jesus Cristo que são:

 

Jesus já tinha avisado os apóstolos da sua Ascensão

Em 3 oportunidades anteriores ao evento da ascensão, Jesus já havia manifestado pistas aos seus discípulos:

  • 1º Anuncio da Ascensão: No Evangelho de São João 6, 62: “Que será, quando virdes subir o Filho do Homem para onde ele estava antes?”  Nesta indagação lançada aos discípulos Jesus quer leva-los a pensar que se apavoram por tão pouco que dirá quando acontecer algo grandioso.
  • 2º Anuncio da Ascensão: Ainda no Evangelho de São João 16, 10: “Ele o convencerá a respeito da justiça, porque eu me vou para junto do meu Pai e vós já não me vereis;”aqui o Senhor diz que vai embora do meio deles e fala para onde vai.
  • 3º Anuncio da Ascensão: logo após a ressurreição do Senhor, Jesus se encontra com Maria Madalena e diz a ela: “Não me retenhas, porque ainda não subi a meu Pai, mas vai a meus irmãos e dize-lhes: Subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”.

 

Textos bíblicos que falam da ascensão

  • Efésios 4, 8-10: “pelo que diz: Quando subiu ao alto, levou muitos cativos, cumulou de dons os homens (Sl 67,19). Ora, que quer dizer ele subiu, senão que antes havia descido a esta terra? Aquele que desceu é também o que subiu aci­ma de todos os céus, para encher todas as coisas.”

 

  • Timóteo 3, 16: “Sim, é tão sublime – unanimemente o proclamamos – o mistério da bondade divina: “manifestado na carne, justificado no Espírito, visto pelos anjos, anunciado aos povos, acreditado no mundo, exaltado na glória!”.

 

  • Hebreus 10, 12: “Cristo ofereceu pelos pecados um único sacrifício e logo em seguida tomou lugar para sempre à direita de Deus,”

 

O monte das Oliveiras é o monte da ascensão

A tradição cristã declarou o monte das Oliveiras como o Monte da Ascensão, graças ao Livro do Atos dos Apóstolos que no capitulo 1, 12 narra que “Voltaram eles então para Jerusalém do monte chamado das Oliveiras, que fica perto de Jerusalém, distante uma jornada de sábado.”

Com a conversão de Constantino, no ano 312 DC, inúmeros locais e relíquias puderam ser reveladas, bem como os estudiosos puderam relatar e apontar alguns lugares mais precisos dos acontecimentos. Assim, diferente dos primeiros cristãos que acreditavam que, a ascensão teria ocorrido numa caverna; ou que, se dirigiam ali para não ficarem expostos. Passaram, a partir do ano 384 a venerar o local aberto acima da caverna.

Para demarcar o local da ascensão, uma capela circular em pedra foi construída e a qual, recebeu o nome de Capela da Ascensão, sendo muito venerada pelos cristãos e também pelos muçulmanos.

Varias destruições

Ao longo dos anos o local já teve varias construções, das quais destacamos:

  • uma igreja, que foi denominada de “Eleonora Basílica”, ou Basila do Jardim das Oliveiras que foi destruída em 614 pelos persas
  • Foi reconstruída pelos cruzados, sendo destruída pelos muçulmanos, que mantiveram a pequena edicula octogonal de 12×12 que conhecemos atualmente.

Após esses acontecimentos, em 1198, o local foi adquirido por dois emissários de Saladino, passando a ser propriedade de um waqf de Jerusalém (um religioso muçulmano que  age como uma especie de tutor do local)

Equipe Mais de Deus

Veja também:

Referências:

  • Livros: Bíblia Católica, Catecismo da Igreja Católica e Youcat.
  • Sites: ArtBible (Imagens)