empoderamento

Muito se tem falado na atualidade de um negócio chamado empoderamento, o tal empoderamento feminino. Mas, antes de tudo vamos entender um pouco desse lance:

Empoderamento vem de: Empoderar que se refere ao ato de dar ou conceder poder para si próprio ou para outrem. Também dar autoridade, habilitar, promover, afirmar alguém, ou ainda, investir de autoridade.

Assim, empoderamento feminino ou empoderamento da mulher é um conceito usado por grupos feministas, onde alguns mais “ultrarradicais”, chegam a reivindicam socialmente uma independência das mulheres frente aos homens; como uma briga contra o que se chama de patriarcado masculino, exigindo lugares historicamente masculinos para as mulheres.

São esses grupos que normalmente vão as ruas dispostos a romper com o tradicional para chocar a sociedade, como as feministas que tiram as roupas ou que querem entrar em igrejas sem as roupas. Também são esses grupos ultrarradicais os mesmos que lutam por uma certa autonomia no que se refere ao controle dos seus corpos, da sua sexualidade, da sua liberdade; como os que clamam pelas ruas frases como “meu corpo, minhas regras”. E que afrontam a sociedade de forma repugnante ao ponto de ofender os pensamentos e a fé dos outros como o “Grupo feminista fez encenação do ‘aborto de Jesus’ pela virgem Maria”.

Todavia, a maioria dos grupos usam esta forma de se expressar ou gritar por um maior poder feminino como uma maneira de conquistar igualdades de direito entre os diferentes ’gêneros’.

virgin-maryNo entanto, longe de reprimir qualquer luta das mulheres, vamos a luz do evangelho olhar para a mulher que adquiriu o maior empoderamento feminino já visto: Maria de Nazaré.

Sim, a mãe de Jesus é verdadeiramente a precursora do empoderamento feminino, com uma diferença significativa e diferencial: Seu empoderamento veio a partir do Espirito Santo.

Mas como maria conseguiu isso? Qual foi o segredo dessa mulher?

A nossa resposta se encontra junto a palavra de Deus e serve como uma orientação para as mulheres que almejam ser como Maria protagonistas da historia em que vivem:

1º – Obediência a Deus: Maria era uma jovenzinha temente a Deus, se isso não fosse verdade o Anjo Gabriel não teria dito a ela que “encontrastes graças diante de Deus” (evangelho de São Lucas 1, 30c)

2º – Disponibilidade para Deus: Mesmo assustada Maria, estava pronta para servir aquele cujo amor irrompia dentro de si: Deus. Tal atitude fez a jovem Maria dizer prontamente: “Eis a serva do Senhor” (Evangelho de São Lucas 1, 38b)

3º – Docilidade ao Espirito Santo: Maria respondeu ao anjo, sem temer que seria uma possível humilhação se sujeitar a Deus, ela estava decidida, confiante e determinada ao responder: “Faça-se em mim, segundo a sua palavra” (Evangelho de São Lucas 1, 38c)

4º – Sabedoria: Fruto de uma maturidade conquistada ao longo dos anos, aprendeu a ouvir e depois falar:

  • Ouvir: Maria era observadora, a bíblia destaca isso logo após o episódio onde Jesus se ‘perde’ dos seus pais, na festa da Páscoa; assim, destaca que Maria “guardava todas estas coisas em seu coração”. (Evangelho de São Lucas 2, 51b)
  • Falar: No momento certo, Maria soube expor aquilo que Jesus era capaz de fazer, tomou a atitude pois tinha conhecimento das habilidades, da força e do poder de Jesus. “Três dias depois, celebravam-se bodas em Caná da Galiléia, e achava-se ali a mãe de Jesus. Também foram convidados Jesus e os seus discípulos. Como viesse a faltar vinho, a mãe de Jesus disse-lhe: Eles já não têm vinho. Respondeu-lhe Jesus: Mulher, isso compete a nós? Minha hora ainda não chegou. Disse, então, sua mãe aos serventes: Fazei o que ele vos disser.” (Evangelho de São João 2, 1-5). Pediu e
    foi atendida ao se impunha no momento oportuno lá em Caná.

5º – CONFIANÇA PLENA EM DEUS: Maria sabia que o que estava fazendo e acontecendo com ela era grandioso, maior que qualquer luta, pois sua batalha estava sendo travada com Deus e ele abriria inúmeras portas para ela. Assim, ela não hesitou em dizer ao Anjo que estava feliz e que “desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações” (Evangelho de São Lucas 1, 48c)

E o resultado dessa ação poderosa do Espirito Santo é que Maria não só exerceu um papel de destaque; como atuou ‘de forma militante’ do nascimento de Jesus ao nascimento da Igreja de Jesus. Maria fez tudo isso, sem afrontar uma sociedade muito mais machista do que a nossa, e viu se cumprir o que ela mesmo disse, sendo proclamada bem-aventurada, amada e exaltada por Deus como medianeira da humanidade.

Talvez o segredo de Maria que muitos não queiram ver ou admitir é que Maria contava com a força de Deus, através da oração. E com isso, fez ainda outra coisa que não sitamos, pisou a cabeça da serpente! De onde veio tamanho poder? de um lugar apenas: De Deus!

Pense nisso! Essa mulher conquistou poder!

Equipe Mais de Deus

Leia também: