Essa notícia não vimos nas grandes redes de televisão e cremos que muitos nunca ouviram falar sobre esse senhor polonês de nome Adam Stanisław Kuszaj. Um padre polonês que se transferiu para a República Tcheca ou Tchéquia, para exercer seu ministério sacerdotal, todavia, ao deixar sua terra natal, ele enfrentou a sua maior batalha e provação por querer evangelizar um dos países com o maior número de “cristãos ateus” declarados.

Na Republica Tchequia, Padre Adam foi acusado de assédio sexual contra uma jovem de 16 anos. Por conta disso, no ano de 2011, Pe. Adam viveu um inferno na Terra:

  • Foi proibido de exercer o ministério sacerdotal pelas autoridades eclesiásticas,
  • Foi expulso da sua congregação,
  • Foi condenado civilmente, mas teve a pena suspensa,
  • Ficou marcado pelo estigma de uma acusação abominável,
  • Foi abandonado pela grande maioria dos seus conhecidos,
  • E para finalizar só conseguiu se sustentar porque arrumou emprego como operário.

Miséria pouca é bobagem. A perseguição religiosa que esse sacerdote sofreu foi desumana!

Deus não abandona o justo

Todavia neste ano de 2019, Deus se mostrou do lado do padre, em plena reunião mundial no Vaticano sobre abusos sexuais cometidos por clérigos, o tribunal de Jesenik julgou um recurso interposto pelo sacerdote e acabou por absolvê-lo depois que um grupo de amigos da suposta vítima revelaram que ela tinha inventado as acusações contra ele.

Além disso, especialistas ouvidos pela justiça confirmaram que os relatos da acusação não tinham confiabilidade. O que veio à tona, ao final das investigações, foi que a mulher queria se vingar do padre porque ele se negou a lhe dar dinheiro. Assim, mudanças comecaram a acontecer:

  • A diocese tcheca de Ostrawa-Opava reverteu a suspensão do sacerdote, que, por sua vez, afirmou que deseja retornar ao seu ministério o quanto antes. O pe. Adam declarou a uma rádio católica local:

“É o meu sonho. Quero que ele se realize. Sempre quis servir às pessoas e a Deus antes de tudo. Perdi 9 anos, mas aprendi muito”.

Ainda que a notícia não seja em nosso pais, não vimos ninguém e até mesmo a nossa mídia cristã deu pouca ênfase a esse grande acontecimento.

Pena que nós do “Sou mais de Deus”, não soubemos dessa notícia. E sabendo agora não poderíamos ficar sem falar sobre essa grande vitória e mostrar quem nem todos que foram acusados, de fato mereciam.

Equipe Mais de Deus