Lula e o Papa Francisco

Nesta quinta-feira, 13/02/2020, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. Até aí tudo bem, pois, as portas da Igreja devem estar abertas para todos que queiram uma vida nova e que almejam uma mudança de vida.

Só não podemos esquecer que no poder esse mesmo cidadão e seu partido militaram contra aquilo que a Igreja condenava, vejamos alguns exemplos abaixo:

  • Promoveu o aborto – que a igreja e o próprio Papa condenaram inúmeras vezes,
  • Promoveu a ideologia de Gênero – que vai na contramão de tudo o que prega a igreja,
  • Promoveu o comunismo – que a igreja tanto condena, ainda que alguns membros façam vistas grossas e tentem promover e, ainda,
  • Desrespeitou a Santa Missa – participando e bebendo cachaça em pleno altar (ainda que num trio elétrico), antes de ser preso.

O mesmo Lula que se comparou a Jesus, nos seus acoites em um discurso e que questionou a chegada de Walesa (ex-presidente da Polônia) por ser ligado a uma ala da igreja que combatia o comunismo.

Diante disso, muitos católicos protestaram nesta quarta-feira, contra a audiência papal. O protesto não foi contra o Papa, mas contra a manobra para usar a igreja.

O protesto foi contra os antecedentes, já que no passado a igreja que lutava pela liberdade e apoiava o senhor Lula, é quem foi traída:

  • Foi traída quando muito dinheiro brasileiro foi usado para financiar ditaduras opressoras em países como Angola, Congo, Cuba, gabão, Guiné Equatorial, Venezuela e Zimbábue. Ditaduras essas tão opressoras que mataram inúmeras pessoas.
  • Foi traída quando dizendo trabalhar em prol ao povo de Deus, valorizou-se as grandes oligarquias e nada se fez para aliviar os impostos que corroem os salários dos mais pobres.
  • Foi traída quando ao invés de gerar emprego e dignidade para o povo, gerou se assistencialismo que não promoveu a dignidade duradoura para as pessoas, causando uma especie de subvenção alienante que não liberta mas que “aprisiona” as pessoas.

Assim, o ex-presidente partiu para Roma a fim, de se encontrar com o Papa Francisco, num encontro que teria sido intermediado pelo socialista Alberto Fernandes, presidente Argentino que, no último dia 31/01/2020, esteve em Roma e foi recebido por Francisco.

Mas a pergunta que se leva adiante nas mídias sociais é:

O que ganha a igreja em promover um evento desse nível onde um ex-presidiário sai do pais para uma visita privada com sua santidade – o papa?

Ou ainda: Que proveito tem para a igreja um encontro de Lula com o Papa, nessa circunstancia atual onde o ex-presidente tenta se colocar na mídia juntamento com o seu partido para se reerguer nas disputas das eleições municipais?

Com que propósito, a igreja usa isso, ou se deixa usar ao ser vista com pessoas que não estão interessadas em promover a fé católica e sim destruí-la?

Pensemos… Não estamos contra a Igreja, mas contra aquilo que distorce a verdade. Pois, afinal de contas, foi o mesmo Lula que bradou: “A gente tem que seguir o exemplo do povo do Chile, atacar”; diz Lula no ABC Paulista. Para lembrar, nos ataques do Chile, até igrejas católicas foram saqueadas e destruídas.

Para finalizar, será que o senhor Luis Inácio, se estivesse realmente arrependido, não poderia se confessar com tantos padres bons que existem no Brasil, sem precisar ir a Roma?

O povo pode ser ludibriado, mas nunca enganado para sempre!

Equipe Mais de Deus