misericordioso_papaEu ignoro o Espírito Santo? A minha vida é uma vida pela metade, morna, que entristece o Espírito Santo e não deixa sobre mim a força dele me impulsionar?”

Com estas palavras o Papa Francisco questionou os presentes na Missa celebrada na Casa Santa Marta e ainda do mesmo modo que questionou a parte negativa fez o contrário: “A minha vida é uma oração continua para abrir-se ao Espírito Santo? Para que ele me leve adiante com a alegria do evangelho e me ensine a doutrina de Jesus, a doutrina verdadeira?”

Destacando o quanto o Espírito impulsiona a igreja o Santo Padre disse que o Espírito Santo é o grande dom do Pai e é a força que faz a igreja ir com coragem até os confins da terra.

Com isso, o Papa destacou 3 comportamentos que podemos ter para com o Espirito santo:

  • 1º comportamento – Ser justificado pela lei e não por Jesus: o apego a Lei faz ignorar o Espírito e não permite que o poder da redenção de Cristo se sobressai com o Espirito Santo. O problema daquela gente é que ignoravam o Espirito Santo e não sabia ir adiante; fechados nas prescrições diziam – se deve fazer isso, se deve fazer aquilo.
  • 2º comportamento – Entristecer  o Espirito Santo: é isso que acontece quando as pessoas não deixam que o Espirito Santo as inspire. Com essa atitude “nos tornamos mornos, caímos na mediocridade cristã, porque o Espírito Santo não pode fazer a grande obra em nós”.
  • 3º comportamento – Abrir-se ao Espírito Santo e deixar que ele conduza a sua vida, assim aconteceu com os apóstolos quando obedeceram a Jesus e permaneceram em Jerusalém para o dia de pentecostes, como consequência: “Perderam o medo e se abriram ao Espírito Santo.”

O papa Francisco finalizou dizendo que: “Quando um homem, uma mulher se abre ao Espírito Santo é como um barco à vela que se deixa levar pelo vento e vai avante e não par mais.”