.

A polemica sobre a criação da CPMF, fez uma vítima no escalão do governo, a bola da vez foi, Marcos Cintra, que ocupava a função de secretário da receita Federal.

Marcos que era defensor da criação de impostos como o da CPMF, foi demitido pelo ministro Paulo Guedes, segundo informações, a mando do presidente Bolsonaro. Desgastado no governo, o agora ex-secretário já havia se envolvido em uma polemica quando sugeriu em abril deste ano, que a criação do novo imposto, deveria incidir até mesmo sobre o dízimo das igrejas e dos fiéis.

A gota d’agua, foi o secretario ter deixado vazar e comentar abertamente os valores das alíquotas do imposto, antes mesmo de ter sido apresentado ao presidente da república, contrário a criação de impostos e aumento a taxa tarifaria.

Assim, o presidente se manifestou na tarde desta terça-feira, através das redes sociais:

“TENTATIVA DE RECRIAR CPMF DERRUBA CHEFE DA RECEITA. Paulo Guedes exonerou, a pedido, o chefe da Receita Federal por divergências no projeto da reforma tributária. A recriação da CPMF ou aumento da carga tributária estão fora da reforma tributária por determinação do Presidente”.

Deixando claro que a CPMF, está fora da reforma por determinação exclusiva dele. Uma ótima noticia, já que ontem a imprensa e inclusive nós, noticiamos a intenção do governo de recriar o imposto configurando para muitos que a “Nova CPMF seria uma traição as promessas de campanha!”

Equipe Mais de Deus