Senado-argentinoJá eram as primeiras horas da madrugada desta quinta-feira 09/08, quando o senado argentino rejeitou por 38 votos contra, 31 a favor e 2 abstenções; o projeto de lei que previa a legalização do aborto até a 14ª semana de gestação.

Foram mais de 16 horas de intensos e acalorados debates e disputas políticas de partidários prós e contra a legalização do aborto.

Lembramos que no mês de junho a Câmara dos Deputados havia aprovado a legalização do aborto por 29 votos a favor e 125 contrários ver notícia publicada com o título “Agora se podem matar bebes nascituros de 3 meses na Argentina”. Na oportunidade houve muita festa por parte das pessoas favoráveis ao aborto.

Com a rejeição por parte do senado, a interrupção voluntária da gravidez permanece sendo considerada um delito na Argentina, com pena prevista de prisão de um a quatro anos; sendo apenas permitido em casos que ofereçam risco à vida da mãe ou quando originado de um estupro.

Equipe Mais de Deus

Veja também: