NA-bolhaA frase parece redundante, mas decididamente não é. Ela reflete o que tem acontecido cotidianamente com a geração atual; próximos de tudo, mas, distantes ao mesmo tempo.

A geração Wi-fi é assim, cria vínculos virtuais e, no entanto, não tem laços íntimos com as pessoas. São pessoas conectadas 24 horas ao dia, antenadas nos assuntos, ligadas nos likes e (des)likes, mas que todavia tem perdido a estrutura solida da amizade que é feita com o estar junto.

Da mesma forma está acontecendo no relacionamento com Cristo. Cresce o número de pessoas que vivem como que numa bolha (daquelas que vemos os cantores dentro e que se jogam no meio do público em seus shows).

São pessoas que como os cantores, acabam por ficar bem próximas a Jesus, pois ouvem uma música cristã, leem um texto espiritual, e até curtem algo sobre Deus em suas redes sociais (afinal de contas, se eu não curtir pode ser que Deus fique bravo). Um público que até “consome” cristianismo mas vive distante do Cristo.

Como assim? Pode isso?

Não, não pode! Mas infelizmente está acontecendo:

As pessoas se esqueceram que muitas coisas que virtualmente funcionam, não funcionam e não existem na vida real como:

  • Não existe Missa online, tem que ir na igreja.
  • Não existe comunhão online, para receber o corpo de Cristo é preciso participar da Santa Missa (que acontece na igreja). O corpo de Cristo não é imaginário ou simbólico. Ele existe. Ele é real!
  • Grupo de oração online é bonito, mas só participa quem está presente, só recebe imposição de mãos quem está na igreja.
  • Não existe confissão online, ela deve acontecer presencial.

Todavia existem eventos que até nos alcançam online ou via TV; no entanto, quando são presenciais são totalmente diferentes. Veja exemplos:

  • Uma pregação pode ser acompanhada online, tem bênção, nos emociona, mas a emoção de estar no local é impagável.
  • Uma adoração pode ser acompanhada online, ou na TV; mas nada é comparável do que estar na presença do Santíssimo Sacramento e junto a Ele levantar um clamor ou uma adoração.
  • As capelas virtuais, são comuns no dia a dia, todavia estar presente diante de Jesus sacramentado faz toda a diferença.
  • A benção online pode até acontecer, mas estar no local e diferente.
  • A benção via televisão ou rádio é possível, mas como o item anterior, a experiência nunca será igual.

 

O exemplo do Second life nos meios católicos

Há alguns anos muito se falou do Second Life, que ao invés do que se imaginava, não funcionou tão bem, ou quase nada, como se esperava. As cartas apostadas na “segunda vida” que uma pessoa poderia viver não foram suficientes anda para a adesão das pessoas. Exemplo disso é o Second Life da Canção Nova que não foi pra frente.

Digam o que quiserem dizer, mas a “real life”, ou “vida real”, é bem diferente e mais emocionante do que qualquer mundo paralelo imaginário tecnologicamente.

Então, fica a dica #vempramissa

Equipe Mais de Deus