Canonização-Madre-Tereza-2Em uma cerimônia marcante, numa praça de São Pedro lotada, Madre Teresa de Calcutá foi elevada a honra dos altares por sua Santidade o Papa Francisco.

Nascida em 26 de agosto de 1910, na cidade de Skopje, capital da Macedônia, filha de pais albaneses, entrou para o convento das filhas de Loreto, vivendo pou um curto tempo na Irlandia e partindo para a Índia. Inconformada com a situação dos pobres indiano, Madre Tereza se desligou da instituição que fazia parte para criar um centro de ajuda aos pobres. Fundou a Congregação das Missionárias da Caridade, e por sua dedicação aos pobres da Índia, foi considerada por muitos como a “missionária do século XX”.

Era uma defensora da vida, onde travava uma luta ferrenha contra o aborto.

Missionárias da Caridade durante presentes na Missa de canonização.

Missionárias da Caridade durante presentes na Missa de canonização.

Por ocasião de sua morte em 1997, seu funeral na Índia ganhou pompa de Estado, quando inúmeros representantes de países e associações se dirigiram à Calcutá para os funerais que duraram uma semana. Era incontável a multidão que se dirigia ao estádio Netaji, para prestar sua homenagem a ‘santa dos pobres’, a televisão transmitiu por dias esse funeral e no dia do sepultamento uma multidão tomou as ruas para dar um último adeus a pequena madre.

Elevada a condição de beata por São João Paulo II no dia 19 de outubro de 2003, foi canonizada no dia 04 de setembro de 2016 e para isso, assim promulgou sua santidade: “Em honra da Santíssima Trindade, pela exaltação da fé católica e o aumento da vida crista; com a autoridade de nosso senhor Jesus Cristo, dos santos apóstolos Pedro e Paulo e nossa.

Após ter longamente refletido, invocado várias vezes a ajuda divina e ouvido o parecer de muitos dos nossos irmãos no episcopado declaramos e decretamos Santa, a beata de Teresa de Calcutá e a escrevemos no auto dos santos e estabelecendo que em toda igreja ela seja honrada entre os santos. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.”