Sto-Antonio-di-Padova-con-il-Bambino,-1656

Sto-Antonio-di-Padova-con-il-Bambino,-1656 – Bartolomé Estaban Murillo

Nascido como Fernando Antônio de Bulhões, em 15 de agosto do ano de 1195, na cidade Lisboa, Portugal. Enfrentou dificuldades para viver a vida que escolheu junto Aquele que conquistou seu coração – Jesus Cristo.

Santo Antônio, nasceu no seio de uma família nobre e rica, filho único de Martinho de Bulhões, oficial do exército de Dom Afonso e de Tereza Taveira. Sua formação inicial foi feita pelos cônegos da Catedral de Lisboa. Era muito estudioso e muito resguardado.

 

A busca pelo Sacerdócio

Quando completou 19 anos, contrariando seu pai, o jovem futuro santo, entrou para o Mosteiro de São Vicente dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho. Foram 2 anos, onde o jovem se dedicou aos estudos e a oração, até que foi transferido para Coimbra, onde permaneceu por 10 anos no mosteiro de Santa Cruz.

No ano de 1219, concluiu seus estudos preparatórios para o sacerdócio e foi ordenado. Graças aos estudos e ao conhecimento o jovem sacerdote agostiniano se destacou por sua capacidade e desenvoltura na pregação da palavra.

 

De padre Agostiniano para frei Franciscano

E foi em Coimbra que uma outra virada da sua vida estava prestes a acontecer. Quando conheceu os freis franciscanos, o jovem padre se entusiasmou com a radicalidade e o fervor com que estes viviam o Evangelho. Assim, deixar as atividades paroquiais, tornar-se frei e mudar se para o mosteiro de São Francisco de Assis, foi questão de dias. É aí que morre o padre Fernando e que nasce o frei Antônio.

 

O Encontro de Santo Antônio com São Francisco de Assis

No ano de 1220, após os estudos para o noviciado Franciscano, Santo Antônio faz o pedido de ir para o Marrocos pregar o evangelho e os Franciscanos permitem. Porém, Frei Antônio fica muito doente e é forçado a voltar para Portugal. Na viagem de volta, o barco é desviado e vai para Itália, terminando por parar na Sicília, em um grande encontro de mais de 5 mil frades franciscanos chamado Capítulo das Esteiras. Lá, Antônio conhece pessoalmente São Francisco de Assis. A mão de Deus o tinha guiado por caminhos diferentes.

A luz deve brilhar para todos

Após conhecer São Francisco, Frei Antônio passa 15 meses como um eremita no monte Paolo. São Francisco enxerga os dons que Deus deu a ele, chama-o de Frei Antônio, meu Bispo e o encarrega da formação teológica dos irmãos do Mosteiro.

No capítulo geral da ordem dos franciscanos ele é enviado a Roma para tratar de assuntos da ordem com o Papa Gregório IX, que fica impressionado com sua inteligência e eloquência e o chama de Arca do Testamento.

Tinha uma força irresistível com as palavras e São Francisco o nomeou como o primeiro leitor de Teologia da Ordem. Em seguida, mandou-o estudar teologia para ensinar seus alunos e pregar ainda melhor. Juntavam-se as vezes mais de 30 mil pessoas para ouvi-lo pregar, e muitos milagres aconteciam. Após a morte de São Francisco, ele foi enviado a Roma para apresentar ao Papa a Regra da Ordem de São Francisco.

Milagres Santo Antônio

Protetor das coisas perdidas. Protetor dos casamentos. Protetor dos pobres. É o Santo dos milagres. Fez muitos ainda em vida. Durante suas pregações nas praças e igrejas, muitos cegos, surdos, coxos e muitos doentes ficavam curados. Redigiu os Sermões, tratados sobre a quaresma e os evangelhos, que estão impressos em dois grandes volumes de sua obra.

Falecimento

Santo Antônio morreu em Pádua, na Itália, em 13 de junho de 1231, com 36 anos. Por isso ele é conhecido também como Santo Antônio de Pádua. Antes de falecer nas portas de Pádua, Santo Antônio diz: ó Virgem gloriosa que estais acima das estrelas. E completou, estou vendo o meu Senhor. Em seguida, faleceu.

Os meninos da cidade logo saíram a dar a notícia: o Santo morreu. E em Lisboa os sinos das igrejas começaram a repicar sozinhos e só depois o povo soube da morte do Santo. Ele também é chamado de Santo Antônio de Lisboa, por ser sua cidade de origem.

Devoção a Santo Antônio

Aconteceram tantos milagres após sua morte, que onze meses após ele foi beatificado e canonizado. Quando seu corpo foi exumado, sua língua estava intacta. São Boaventura estava presente e disse que esse milagre era a prova de que sua pregação era inspirada por Deus. Está exposta até hoje na Basílica de Santo Antônio na cidade de Pádua.

  • Em 1232: Sua canonização foi realizada pelo Papa Gregório IX, na catedral de Espoleto, no dia 30 de maio, sendo o processo mais rápido da história da Igreja.
  • Em 1934: foi declarado Padroeiro de Portugal.
  • Em 1946: foi proclamado Doutor da Igreja pelo Papa Pio XII.