Elevado a condição de patrono dos trabalhadores em 1955, São José operário é lembrado como exemplo de pessoa integra e justa. Assim, consequentemente é considerado um trabalhador justo e honesto.

Sobre José não se encontra nada de improprio como profissional, pelo contrario o Evangelho de São Mateus 1, 19 refere-se ao esposo de Maria dizendo que “José, …era homem de bem,” Assim, entendemos que um homem de bem é todo aquele o qual sobre sua vida não se encontram atitudes ou atos impróprios quer seja na vida social ou na vida profissional

No capítulo 13 e versículo 55 do Evangelho de São Mateus os homens ligam Jesus a profissão do pai ao dizerem: “Não é este o filho do carpinteiro? Não é Maria sua mãe?”

Também Jesus é ligado ao serviço de carpintaria como herança do pai como descrito no Evangelho de São Marcos 6, 3: “Não é ele o carpinteiro, o filho de Maria, o irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão? Não vivem aqui entre nós também suas irmãs?”. E ficaram perplexos a seu respeito.”

Por sua responsabilidade para com os cuidados com a Virgem Maria e depois com o filho de Deus – Jesus. A bíblia e a tradição ensinam o quanto São José é digno de confiança, levantando a ele um clamor de intercessão:

São José Operário, patrono dos trabalhadores, rogai por nós!

Olhemos para São José e a ele busquemos uma ajuda oportuna, para nossas famílias e para os nossos empregos, neste tempo tão difícil onde a pandemia do Coronavirus, destrói empregos e esperanças ao redor do mundo.

Unidos a intercessão de São José confiemos em Deus que tudo pode pois afinal de tudo “O Senhor é justo em seus caminhos, e santo em tudo o que faz. O Senhor se aproxima dos que o invocam, daqueles que o invocam com sinceridade. Ele satisfará o desejo dos que o temem, ouvirá seus clamores e os salvará.” (Salmos 144, 17-19)

São José Operário, rogai por nós!