Venezuelanos-2Com a crise econômica que assola o pais vizinho a população do outrora, rico país sul-americano, já passa dos 50 mil imigrantes. Vindos das regiões fronteiriças, eles não param de chegar na capital roraimense, alguns chegam debilitados por dias de viagem a pé.

Sim a grande maioria dos imigrantes caminham por dias, até chegar a divisa e depois a capital Boa Vista em busca de um trabalho e principalmente de comida.

Essa leva de venezuelanos é fomentada pela grave crise política e econômica pela qual passa a nação caribenha e tem levado os cidadãos dos estados fronteiriços a buscar sobrevivência em países como Brasil, Colômbia, Guiana, Equador e Suriname. Ao todo já entraram pela rota de Pacaraima cerca de 46 mil pessoas, cujo destino é a capital do Estado e na qual esses imigrantes precisam trilhar mais 215 km pela BR 174.

 

Pacaraima

A porta de entrada dos venezuelanos no Brasil é uma cidade nova, situada na Reserva Indígena de São Marcos é um dos municípios fronteiriços do Brasil.

  • Área territorial: 8 028,428 km²
  • População: cerca de 12 mil habitantes,
  • Data de fundação: 17 de outubro de 1995

 

Na capital

Ao chegar na capital a situação dos venezuelanos não tem sido fácil, por conta das dificuldades para acomodar tantas pessoas, a cidade sofre com o grande contingente de pessoas que agora vivem nas ruas, pedindo dinheiro nos semáforos, aglomerando-se nas praças, superlotando hospitais e postos médicos; a bem da verdade, Boa Vista não estava preparada para um aumento desse porte em sua população.

Os venezuelanos têm sido socorridos pela generosidade dos ‘boa-vistenses’ que tem ajudado com alimentos e roupas, visto que o poder público tem agido com ineficiência no socorro a esse povo.

Equipe Mais de Deus

Veja também o que já publicamos: