Jesus-no-desertoOriginário do latim quadragesima dies, quaresma significa quarenta dias.

É o período litúrgico de preparação espiritual que antecede a Páscoa, e para qual os cristãos são chamados a se preparem, por meio da oração e dos atributos do jejum, da caridade e da penitência.

É o tempo que a igreja se une ao mistério de Jesus no deserto, onde também lembramos as tentações de Jesus. Assim, da mesma forma como Jesus impeliu as tentações do diabo, nós mergulhamos quarenta dias num período de deserto para refletir nas tentações de Jesus:

  • O PODER – 1ª tentação: Ao incitar Jesus a transformar pedras em pão e quebrar seu sacrifício, o diabo queria corromper Jesus e quebrar a sua humildade de cordeiro dócil e inocente – “O tentador aproximou-se dele e lhe disse: Se és Filho de Deus, ordena que estas pedras se tornem pães. Jesus respondeu: Está escrito: Não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus. (Deuteronômio 8,3)”. (São Mateus 4, 3-4) Ele – o diabo – queria persuadir Jesus a se sentir orgulhoso do seu poder com o intuito de submetê-lo a sua vontade e não a de Deus.
  • O SER – 2ª tentação: Aqui Satanás tenta persuadir Jesus como que a um suicídio, queria fazer joguinhos com Jesus para pôr à prova a missão de Jesus. “O demônio transportou-o à Cidade Santa, colocou-o no ponto mais alto do templo e disse-lhe: Se és Filho de Deus, lança-te abaixo, pois está escrito: Ele deu a seus anjos ordens a teu respeito; proteger-te-ão com as mãos, com cuidado, para não machucares o teu pé em alguma pedra (Salmo 90,11s). Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus (Deuteronômio 6, 16)”. (São Mateus 4, 5-7) Ao provar Deus, o diabo queria tentar Jesus a estar acima de Deus como ele tentou. Jesus, no entanto, conhecia sua missão, sabia seu objetivo e ainda que fragilizado pela sua condição humana permaneceu submisso ao Pai; pois veio para libertar o homem por um todo como sacrifício único e definitivo, não para fazer um ‘showzinho’.
  • O TER – 3ª tentação: Ao tentar fascinar Jesus com o poder, o inimigo tentou mais uma vez tirar Jesus de seu objetivo, mas Jesus sabia que tudo fora criado pelo pai para ele e que o diabo tinha pego isso, ao enganar Adão e Eva. “O demônio transportou-o uma vez mais, a um monte muito alto, e lhe mostrou todos os reinos do mundo e a sua glória, e disse-lhe: Dar-te-ei tudo isto se, prostrando-te diante de mim, me adorares. Respondeu-lhe Jesus: Para trás, Satanás, pois está escrito: Adorarás o Senhor teu Deus, e só a ele servirás (Deuteronômio 6, 13)”. (São Mateus 4, 8-10) O diabo tentou Jesus com o que ele tinha, sendo príncipe deste mundo exercia controle sobre os reinos e sabia que Jesus não tinha vindo a terra para fazer turismo. Jesus veio redimir a humanidade e retirar das mãos de satanás toda humanidade.

Por isso, que também na quaresma somos chamados a um aprofundamento bíblico, visto que é pela palavra que vencemos o diabo.

A pratica da preparação quaresmal teve início no século 4, e é celebrada pela igreja do ocidente (Católicos) e do oriente (ortodoxos), além das igrejas Anglicana e Luterana.

Nesse tempo litúrgico a cor predominante usada nas igrejas é o roxo, cuja a finalidade é a de chamar os cristãos para um tempo reflexivo sem muita festa.

Ricardo Mari e Equipe Mais de Deus